Astrologia Médica Clássica

Astrologia Médica Clássica>> A Astrologia Médica Clássica vem sintetizada na figura conhecida por Homem Zodiacal. Nesta figura humana, inscrevem-se, em forma descendente, todos os signos. Estes repousam sobre os órgãos humanos que lhe são correspondentes.

A uma primeira impressão essa divisão pode parecer mecanicista e fragmentária. Mas já nela podemos perceber a intrincada rede de significados que conectam signos, planetas, órgãos e funções orgânicas.
Aqui não devemos analisar os fatores separadamente, mas perceber, sob essa aparente distinção fixa, uma síntese de funções e uma articulada interação de símbolos.

Astrologia Médica Clássica – Áries

Áries, regido por Marte, é um signo de impulso, força, vitalidade, centralizador e ativo, e faz referência à cabeça, numa alusão à primeira parte de nós que, via de regra, vem ao mundo. Como o aríete dos romanos, viga com uma ponta em forma de cabeça de carneiro, que bate muitas vezes contra os portões antes de derrubá-lo, o ariano pode ser teimoso, impetuoso e irracional no seu desejo de avançar sempre, sem medir consequências.

Astrologia Médica Clássica – Touro

Touro, regido por Vênus, representa a sensualidade, a capacidade dos sentidos plenos, a bela voz, e o desejo de possuir pela agregação de matéria, a necessidade de subsistir. Refere-se ao pescoço, por onde fazemos entrar os alimentos que se converterão em matéria para nosso corpo. Também representa todos os sentidos que nos conectam ao mundo físico da existência.

Astrologia Médica Clássica – Gêmeos

Gêmeos, regidos por Mercúrio, volátil e dispersivo, incansável comunicador, mas tantas vezes superficial na busca de miríades de conhecimentos, alegre e jovial, desenha-se sobre os ombros, braços e tórax (pulmões). Está em analogia com o sistema respiratório, responsável pela nossa comunicação com o mundo – o ar é o que de mais democrático partilhamos com todos os seres. E com os braços e as mãos, que se agitam e tocam, que procuram e comunicam incansavelmente.

Astrologia Médica Clássica – Câncer

Câncer é regido pela Lua, satélite da Terra, responsável pelas marés e refluxos em nosso planeta. Câncer é emotivo, maternal e protetor, e também pode ser emocionalmente chantagista e inseguro. Relaciona-se com os seios, que oferecem o primeiro alimento humano, e com o estômago, onde todo o processo digestivo ganhará lentidão e ácidos. Na “boca do estômago” é que sentimos os nós das nossas angústias.

Astrologia Médica Clássica – Leão

Leão, regido pelo astro-rei Sol, é magnânimo e vitalizado, generoso mas egocêntrico, centro de luz e calor, fonte de toda a vida terrena. No coração é que se representa, fonte de todo o calor que o corpo pode gerar, mantenedor da vida e das pulsações.

Astrologia Médica Clássica – Virgem

Virgem, também regido por Mercúrio, apresenta o outro lado da faceta da comunicação e do aprendizado: tudo o que aprendemos e aperfeiçoamos no cotidiano. Discriminativo, metódico, separatista, classificador, aprende por atenção aos detalhes o que é útil do que é refugo. Desenha-se sobre o abdome e representa o sistema digestivo. Está especialmente em ressonância com o intestino delgado, onde se realizam todos os processos de assimilação, para que apenas os alimentos precisamente discriminados como úteis passem à circulação e aperfeiçoem-nos. O refugo é encaminhado adiante para descarte.

Astrologia Médica Clássica – Libra

Libra, também com regência de Vênus, apresenta o aspecto mais social desse planeta. A harmonia no plano da convivência, dos relacionamentos, o justo equilíbrio entre o que pode ser e o que foge à regra. No corpo humano, está em correspondência com os rins, filtro essencial que garante o equilíbrio ácido-básico orgânico, sem o que pereceríamos. Filtragem contínua, silenciosa, harmoniosa e indispensável à vida.

Astrologia Médica Clássica – Escorpião

Escorpião, de dupla regência – Marte e Plutão – representa o que está por trás da matéria, toda a imortalidade e toda a morte, mas também todo o refugo e o lixo do qual devemos nos livrar para renascer a cada dia. Simboliza as funções do intestino grosso, que carreia todo o resíduo sólido do organismo, e também o sistema genital, fonte imaterial de energia que fará brotar as “pequenas mortes” no gozo, e os novos seres que nascerão.

Astrologia Médica Clássica – Sagitário

Sagitário, regido por Júpiter, Deus do Olimpo, relaciona-se com a comunicação no seu patamar mais elevado, a síntese de conhecimentos no contato com os planos verticais: Deus, A Lei e a Filosofia. Aventureiro em busca do conhecimento, viaja para longínquas paragens e refere-se ao estrangeiro a nós. No corpo, representa o fígado, órgão fundamental para a síntese de quase todas as substâncias orgânicas, além dos quadris e coxas, a maior articulação e os mais poderosos músculos para o movimento de longas travessias.

Astrologia Médica Clássica – Capricórnio

Capricórnio, regido por Saturno, associa-se ao tempo e seus ciclos, o amadurecimento de todas as coisas, a paciência e a persistência para atingir seus fins, uma certa frieza de cálculo, ou arrogância, e a capacidade de sustentar-se para chegar aonde ambiciona. Está representado nos joelhos, que sustentam o peso do corpo e permitem o movimento largo, mas que também representam a reverência ou a humilhação, na imagem do ajoelhar-se. Refere-se ainda a todo o esqueleto e suas articulações, que mantêm o eixo de sustentação dos músculos e nos dão a firmeza necessária para avançar ou parar.

Astrologia Médica Clássica – Aquário

Aquário, também regido por Saturno, além do imprevisível e abrupto Urano, é aquele que precisa combinar essas duas qualidades, a da preservação e a da transformação. Cabe-lhe a árdua tarefa de entender o que pertence apenas ao passado e não deve mais ser mantido, e ter a rebeldia necessária para efetuar as mudanças. Refere-se aos relacionamentos sociais, à fraternidade ampla, o que pode provocar mudanças coletivas sem preocupações com sentimentos individuais. No organismo vem representado pelos tornozelos, pilar de sustentação do corpo e direcionador do caminho dos pés, mas também por todos os processos de oxidação do corpo, levados a cabo pela circulação. Assim, renova e recicla todas as nossas baterias energéticas, fomentando a energia necessária para a transformação e renovação celulares.

Astrologia Médica Clássica – Peixes

E, finalmente, Peixes, regido tanto por Júpiter (regente antigo) quanto por Netuno (regente moderno). Símbolo por excelência da dissolução do ego mortal, da entrega e da fé na Providência Divina, aquele algo que escapa das nossas explicações racionais cotidianas. Curiosamente representado sobre os pés, que nos situam na terra e nos fincam na realidade do mundo, talvez indicando que a única possibilidade humana de transcendência depende, inteiramente, de uma firme conexão ao plano material que nos sustenta. Além disso, representa também o sistema linfático, circulação paralela que carreia todos os resíduos celulares que não foram eliminados diretamente pelos intestinos ou rins.



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Ana Teresa Ocampo

Astróloga e médica sanitarista e homeopata no Rio de Janeiro. astro.anaocampo@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *