Meu parto e minhas observações III

Meu parto e minhas observações>> Quando o dia começou a clarear, por volta das 5:30hs da manhã, as contrações ficaram mais fortes.

Portanto, a melhor posição que encontrava era de pé e com as pernas afastadas. O tronco, eu acomodava ou sobre a barra de exercícios ou, a bola suíça.

Tanto a minha mãe, como a Dalva, e o Fergusonn, se revezavam em massagens nas minhas costas.   A fim de relaxar a musculatura da bacia, faziam as massagens com um óleo à base de arnica,

Meu parto e minhas observações III – Meu bebê se posicionando

As 7hs da manhã, o bebê já estava se posicionando, e era a hora de mudar o plantão.
A Solange, enfermeira do dia chegou e se apresentou. A Miriam estava junto dela e resolveu ficar para acompanhar a evolução do meu parto.

Desmarcou os compromissos da manhã e ficou junto com a Sol, monitorando os batimentos cardíacos do Caio e a minha pressão arterial…

Estava tudo bem, estávamos ótimos!

Algo que achei interessante e rico em termos de procedimentos de enfermagem, era o fato delas em nenhum momento terem solicitado novamente fazer o toque.

Concordavam comigo de que não havia necessidade de ficar ‘medindo’ o espaço que se formava, afinal, na hora em que o Caio tivesse que sair, ele sairia..rs…

Concordamos em que seria feito apenas um toque na hora em que eu entrasse na banheira, para controle, caso o parto se estendesse mais do que o previsto.

Meu parto e minhas observações III – o banquinho

Trouxeram um banquinho em formato de meia-lua e das 7 às 9 hs eu fiquei sentada nele, fazendo força quando a contração vinha….
Me mantinha forçando pra baixo e sentindo que milimetro a milimetro o Caio estava descendo…
Entretanto, quando a contração passava, eu levantava, bebia água, tomava uma chuveirada, e voltava novamente pro banquinho esperando a próxima.
Eu falei com a Solange que estava preocupada por não ter tido leite nem no final da gravidez…
Ela falou “deixa eu te mostrar”…

Massageou o meu mamilo e imediatamente um jato de leite saiu!

Pronto! Já poderia amamentar o meu filho

Imagem pinterest



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Clotilde Nunes

Sou Doula há 14 anos, quase psicóloga. Mãe do Caio e do Enzo, esposa do Falkner e Sacerdotisa Wiccaniana. Minha vida se entremeia nesses papéis e danço no ritmo do Universo, sendo grata pelas bênçãos que recebo e aprendendo com as pequenas e grandes lições do dia a dia. Email: allysmadron@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *