Meu parto e minhas observações IV nascimento

Meu parto e minhas observações IV>> Era hora de ver se o bebê estava coroando…

Com essa finalidade, a enfermeira se deitou no chão para olhar debaixo das minhas pernas “Na próxima contração, faça bastante força”. Ok…rs…

Vamos esperar…

Todavia, senti a contração chegando e enquanto amparada pelo Ferg, fiz toda a força que consegui reunir e ouvi:

“Está coroando, vi a cabecinha dele!, você já pode ir para a banheira”…

Entrar na água, foi romper o espaço entre os mundos….

Primeiramente, entrou o Fergusson, se apoiou, ajeitou e estendeu as mãos para mim.

Tirei o vestido que ainda estava usando, e entrei nua nas águas que receberiam o meu filho.

No entanto, nas próximas horas seriam o meu oceano de sangue…

Meu parto e minhas observações IV- na banheira

Em seguida fiquei de quatro, meio agachada, na posição de sapo, o que permitia que a barriga e o quadril ficassem dentro da água.

Enquanto isso, a  Josiane, minha cunhada que estava grávida do segundo filho chegou e ficou comigo.

Seu filho também nasceria na mesma casa de parto 10 dias depois.

Com efeito,já são 10 horas da manhã… estamos eu, Ferg, mamãe, Dalva, Josi, papai e Fernando (meu irmão)….

As enfermeiras sentadas no chão do lado de fora da banheira observavam e me ajudavam a determinar os tempos e ritmos da respiração…

Minha mãe segurava a minha cabeça e eu podia ouvi-la como se fosse a própria Ísis “Respire…. respire porque o seu bebê está precisando do seu fôlego agora”…

Eu sentia as mãos do Ferg me acariciando a barriga.

Outras vezes, me sustentando pelas costas, quando alguma contração mais forte me fazia erguer da água…

Eu não gritava… apenas gemia enquanto fazia força.

Meu parto e minhas observações IV- a energia crescia

Sentia a energia crescendo e se acumulando em meu canal vaginal, enquanto a cabeça do Caio fazia força para baixo…

De vez em quando alguém dizia “Eu vi!, eu vi os cabelos dele!”

Pedi um espelho e consegui ver também!, meu filho era cabeludo!, estava explicado tanta azia..rs…

Conquanto olhei para fora e vi que o dia já estava claro, o sol alto… a Josi estava chorando e eu perguntei o porquê…

“Porque eu sei o que você está sofrendo”…

Respondi “Josi, eu não sofro! Ta bom, ta gostoso!!!”

E todos riram no quarto…

Mas como explicar que era assim mesmo que eu me sentia?

Era bom demais sentir aquela dor e saber que era o meu corpo se abrindo para a saída do meu filho…

Saber que tantos meses de espera e expectativa em ver o seu rosto, saber com quem se pareceria… estavam chegando ao fim e em questão de minutos ele estaria ali conosco.

Falei para a Josi parar de chorar porque eu estava adorando cada minuto do que estava vivendo.

Meu parto e minhas observações IV- uma forte contração

Numa contração mais forte, puxei o Ferg pela roupa e lhe dei um beijo na boca

Me senti queimando enquanto, mais do que antes, sentia todo o meu corpo se abrindo…

Comecei a latejar e falei “Parece que eu estou gozando”…

Foi quando ouvi da Sol “Estou vendo a cabeça dele, mais um pouquinho só que ele está chegando…

Meu pai falou que contou quatro urros meus, não gritos, mas gemidos de força, como quando estamos empurrando algo muuito pesado.

E era isso que eu estava empurrando, o meu pequerrucho que nascia, com 45cm, 3,450kg…

Meu parto e minhas observações IV- a saída do Caio

O Fergusson se posicionou entre as minhas pernas, e amparou com as mãos aquele bebê que saia em meio a uma enxurrada de sangue…

Ele o segurou em suas mãos dentro da água, por instantes em que ele permaneceu encolhido…

Enrolado como estava no útero.

Lentamente, ele foi levantando o bebê até tira-lo da água.

Foi quando eu o vi, se esticando e gritando a plenos pulmões.

“Pega ele mãe, e coloca ele no colo, dentro da água que ele para de chorar”…

Fiz isso e imediatamente ele se calou, e me olhou…

Piscando pela água e pelo verniz, ele me olhou….

Mexi em seus dedinhos, seus cabelos…

totalmente isolada do mundo, naquele instante apenas eu e ele….

oi bebê… seja bem vindo….

Ele resmungou e virou a cabeça, buscando o bico do peito e mamou… sua primeira mamada…

A primeira sugada foi no seio esquerdo, ele mamou, ouvindo o mesmo coração que durante 9 meses o acalentou e ninou…

Meu parto e minhas observações IV- Eu, Ferg e Caio

Ficamos na água, eu Ferg e Caio, por uns 5 minutos, até que o cordão parasse de pulsar.

Ferg então o cortou e separamos um pedaço para guardar, como lembrança física de que já fomos um só.

As enfermeiras, seguidas pelas avós o levaram para pesar, medir e vestir.

Enquanto isso, eu saia da água para expulsar a placenta, pude ver então a sacola vermelha que abrigou o meu filho…

Tomei um banho… Ferg foi em casa mais a Dalva para dormir e fiquei com minha mãe e o Caio, descansando…

Iniciando um encontro que se perpetuará por todos os nossos dias….

Grande Ísis
Senhora das Águas
Que conhece as entranhas do mundo
E existe mesmo antes do Principio de todas as coisas

Senhora das Estrelas
Que brilha em um e em mil sóis
Ilumina e marca os meus caminhos
Brilhe em cada um dos meus passos

Ísis Deusa Vermelha
Que escreveu cada um dos Mistérios
Faça sua morada em cada útero
Conselheira, Guerreira e Protetora das Mulheres

Dama da Lua
Deusa Negra
Sua face escura marca o trilho a seguir
Que eu seja digna de ver Sua Face
E de ser chamada Sua Filha e Sacerdotisa.




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Clotilde Nunes

Sou Doula há 14 anos, quase psicóloga. Mãe do Caio e do Enzo, esposa do Falkner e Sacerdotisa Wiccaniana. Minha vida se entremeia nesses papéis e danço no ritmo do Universo, sendo grata pelas bênçãos que recebo e aprendendo com as pequenas e grandes lições do dia a dia. Email: allysmadron@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *