A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO>>

Desprezados por longo tempo, os nodos lunares vêm sendo cada vez mais aceitos como pontos importantes na análise astrológica.

Quando a Lua ou o Sol fazem conjunção com os nodos lunares ocorrem os eclipses.

Os antigos diziam que um dragão vinha dos céus para devorar esses astros.

Portanto, é por isso que esses pontos astronômicos simples, mas importantes, ganharam os nomes de Cabeça e Cauda do Dragão.

Cabeça do Dragão (nodo norte) e Cauda do Dragão (nodo sul).

Nesse sentido a utilização dos nodos foi, durante muito tempo, relegada a um plano secundário pela astrologia, exceto a hindu. Para a qual eles sempre tiveram a maior importância.

Atualmente, porém, vem ganhando força no Ocidente a interpretação desses pontos no horóscopo.

Assim sendo:

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – ATRIBUIÇÕES DOS NODOS

Entretanto, uma das atribuições mais comuns conferidas aos nodos pelos astrólogos modernos refere-se a eles como pontos de carma.

O eixo nodal por conseguinte, seria uma ponte entre as vidas passadas e a atual existência do sujeito. Que receberia as experiências a serem vividas através da Cauda, vivenciando-as na área onde se encontra a Cabeça.

Assim sendo, o astrólogo Dane Rudhyar atribui grande importância ao movimento da Lua em direção ao norte ou ao sul da eclíptica. Que se dirigindo para o nodo norte, é como se a Lua fosse rumo ao Sol, tornando-se aliada de sua força. E, ao ir em direção ao sul, se afastasse dos valores mais elevados da existência. Caindo sob o controle das energias da matéria e da instintividade em seu estado mais bruto. Seria como se os nodos estabelecessem uma orientação alternante entre o espírito e a matéria.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – A ASTROLOGIA DA PERSONALIDADE

Seguindo: Em sua obra The Astrology of Personality (“A Astrologia da Personalidade”), Rudhyar apresenta os nodos lunares como a representação do eixo individuação (nodo norte) – automatismo (nodo sul). A posição da Cabeça representaria o futuro, o destino, as qualidades pessoais a serem aprimoradas. O aprendizado das experiências relativas àquela posição, enquanto a localização da Cauda seria um ponto mais frágil. Uma área onde os condicionamentos e as acomodações poderiam criar resistência para o indivíduo aceitar ou se integrar ao novo. Embora não sejam necessariamente negativos.

De fato com relação ao signo e casa, o nodo norte apontaria a direção na qual o indivíduo deve focalizar sua força. Seu empenho em evoluir espiritualmente, integrando-se de maneira construtiva e significativa ao seu papel na existência.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – POSIÇÃO DE EDMUND JONES

Pois então: A posição de signo e casa do nodo sul mostraria as qualidades com as quais o indivíduo já teria nascido. Ou que aprendera na primeira infância. Seriam aquelas características que não lhe exigem esforço ou dedicação. Que fluem com espontaneidade e, na maioria das vezes, de modo inconsciente.

O astrólogo norte-americano Marc Edmund Jones possui um ponto de vista semelhante ao de Rudhyar. Ele sugere que a Cabeça de Dragão representaria o potencial de progresso do indivíduo.  E, em função do signo e casa, quais os esforços necessários para sua evolução. O nodo norte seria também uma medida do caráter e da determinação do indivíduo.  O nodo sul, por sua vez, representaria para Jones as qualidades que, por serem inerentes, não exigem nenhum esforço especial da pessoa. Ele sugere também que este nodo, além de simbolizar o talento e uma eventual genialidade inata, poderia criar um tipo de paralisação dos esforços, ou um desinteresse e falta de consciência dos recursos e potencialidades internos.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – ENTENDIMENTO DOS HINDUS E TEOSOFISTAS

Tanto os astrólogos hindus como os teosofistas eliminam de imediato a possibilidade de trabalharmos as indicações dos nodos lunares.  Para os primeiros, o nodo norte possui a natureza incontrolável e agressiva de Marte, enquanto o nodo sul tem analogia com Saturno, também representante (para eles) de circunstâncias ou qualidades das quais somos somente vítimas, jamais senhores.

Quanto aos teosofistas, a conotação carmática também insere os nodos numa condição além de nossas possibilidades operacionais.

Reinhold Ebertin, da escola astrológica alemã conhecida como Cosmobiologia, atribui uma característica magnética aos nodos. Sendo o nodo Norte representante de um fator de união, associação e alianças. O Sul é indicador de dificuldades para se adaptar socialmente, desligamentos, etc.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – VISÃO DE DONNA VAN TOEN

A astróloga Donna van Toen diz, em seu livro:  Os Nodos Lunares na Astrologia. Que existe um tipo de diálogo entre os opostos indicados pelo eixo nodal do mapa. Ao nodo norte ela atribui uma qualidade e um tipo de atitude que precisa ou pode ser tomada. E, ao outro extremo, uma inclinação do indivíduo de arranjar desculpas (o que ela chama de “sim, mas…”). Ela também apresenta fatores de equilíbrio e desequilíbrio referentes às posições nodais.

A astróloga norte-americana Donna Cunningham, por sua vez, defende que, ao analisar a posição do signo dos nodos. É preciso considerar o eixo estabelecido por eles sob o ponto de vista dos regentes desses signos.

Assim, por exemplo, os nodos no eixo Touro-Escorpião corresponderiam a uma relação de aspecto de oposição entre Vênus e Plutão.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS LIGANDO SORTE OU AZAR

Existem ainda outras teorias sobre os nodos lunares: seriam pontos de ligar e desligar (“input- output”), sorte e azar. Ou até sem significado algum na carta natal.

Sugerimos aqui algumas interpretações possíveis da posição por signo e casa dos nodos lunares. Tanto no mapa natal como nos trânsitos.  Essas sugestões devem ser vistas apenas como um ponto de partida para uma reflexão mais profunda, uma experimentação do tema.

 A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – OS NODOS NO MAPA NATAL

Conforme: O signo onde se encontra a Cabeça do Dragão representa uma disponibilidade interior para fazer alguma coisa. Enquanto o oposto, onde está a Cauda, simboliza a motivação, a carência ou a ausência. Que nos leva a atuar no sentido da Cabeça.

 A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Consequentemente: Cabeça em Áries e Cauda em Libra – A Cabeça em Áries representa uma individualidade exacerbada e poderosa. Enquanto a Cauda em Libra indica sentimentos de solidão, carência e dependência dos demais.

Cabeça em Touro e Cauda em Escorpião. Em Touro, a Cabeça indica capacidade de construir sistematicamente, necessidade de tocar, de se apropriar das coisas. Em Escorpião (Cauda) está a motivação. Isto é, o sentimento de perda, de ausência, a consciência da possibilidade da degeneração e dissolução da matéria.

Assim: Cabeça em Gêmeos e Cauda em Sagitário. A Cabeça em Gêmeos indica que o indivíduo dispõe de facilidade de expressão, comunicabilidade. Em Sagitário, onde está a Cauda, encontraremos sua necessidade de compreender e explicar as leis humanas e divinas.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Consequentemente: Cabeça em Câncer e Cauda em Capricórnio. A Cabeça em Câncer representa um notável potencial para viver em família, apego à memória e às tradições. A Cauda em Capricórnio indica falta de afinidade com as obrigações e responsabilidades externas (sociais), salientando o apego à vida doméstica, à memória e aos filhos.

Assim sendo: Cabeça em Leão e Cauda em Aquário. Leão contendo a Cabeça representa o poder de brilhar, catalisar a vontade e as atenções dos demais. Além do talento para o palco, a expressividade criativa e a dramaticidade em seus gestos e posturas. A preocupação com a desunião entre os homens. A falta de organização social, o caos e o retrocesso da humanidade, indicadas pela Cauda em Aquário. Levam o sujeito a pretender (ou poder) centralizar os interesses dos demais, liderar e pôr uma ordem na desorganização geral.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Consequentemente: Cabeça em Virgem e Cauda em Peixes. A Cabeça em Virgem representa um potencial para agir com extrema racionalidade e perfeccionismo. A Cauda em Peixes oferece a motivação para essa atitude. Propiciando muitas vezes a negação de todo aspecto mágico ou místico da existência.

Assim sendo: Cabeça em Libra e Cauda em Áries. Quando a cabeça se encontra em Libra, o indivíduo está apto para se relacionar socialmente com muita eficiência. É o verdadeiro pólo de atração de um grupo social, um gerador de afetividade. Isso pode ser causado pelo sentimento aventureiro e solitário. A Cauda em Áries indica, ou melhor, pela incerteza e solidão que a aventura sugere.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Consequentemente: Cabeça em Escorpião e Cauda em Touro. Em Escorpião, a Cabeça de Dragão é indicadora de um notável poder transformador e, principalmente, regenerador. Revela também carisma e forte sexualidade. No aspecto negativo, pode representar tendências destrutivas e compulsivas. A Cauda em Touro sugere a dificuldade de construir e possuir algo. A prisão e a limitação representada pela matéria, valores e propriedades.

Assim: Cabeça em Sagitário e Cauda em Gêmeos. Em Sagitário, a Cabeça marca o andarilho. O viajante, aquele que pode atravessar a linha do horizonte em busca do conhecimento, da visão e da compreensão. Do que está do outro lado das coisas.  A pessoa precisa fazer isso. Pois a Cauda em Gêmeos sugere que a compreensão superficial, a simples descrição dos fatos e das ideias não satisfaz. É apenas uma fuga, uma válvula de escape.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Assim, a Cabeça em Capricórnio e Cauda em Câncer. Em Capricórnio, a Cabeça de Dragão sugere um construtor, um elaborador e mantenedor da estrutura social. A pessoa sente que é a partir da sociedade. Que a família e a história (Cauda em Câncer) podem começar a fazer sentido. Ou a sedimentar-se e adquirir consistência. Em geral, ela sente mais segurança no trabalho, principalmente em posições elevadas, do que em casa, com seus familiares. Não é raro que considere a família um obstáculo para seu progresso.

Por certo, a Cabeça em Aquário e Cauda em Leão. A Cabeça de Dragão em Aquário indica um potencial revolucionário. Uma possível aversão a tudo que represente “poder” centralizado (Cauda em Leão).  A facilidade em trabalhar em equipe se contrapõe ao espírito aglutinador e organizador de Leão. Esse é seu instrumento favorito para combater o poder. Ou melhor, a vaidade e o orgulho que o indivíduo sente onde está a Cauda.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NOS SIGNOS

Consequentemente: Cabeça em Peixes e Cauda em Virgem. Quando a Cabeça está em Peixes, o potencial místico e mágico do indivíduo é muito intenso. A Cauda em Virgem representa o incômodo da razão e da responsabilidade cotidiana. Muitas vezes o indivíduo com essa posição de eixo nodal sente-se na obrigação de racionalizar e metodizar o oculto. Em alguns casos através do estudo e da leitura de obras ocultistas e religiosas. Em outros, pela elaboração e metodização de rituais mágicos.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – OS NODOS EM TRÂNSITO

Portanto, se considerarmos o nodo norte como ponto de ligação e o sul de desligamento. Poderemos intuir ou observar fenômenos interessantes relativos ao eixo nodal. Particularmente em relação ao trânsito da Cabeça pelos signos, casas e planetas da carta natal. Vamos atribuir algumas palavras-chaves que servem de referência neste tipo de abordagem:

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NAS CASAS ZODIACAIS

Assim sendo: Áries ou Casa I – Ligação com a aventura, o novo. Desligamento com relação a alguém, a um relacionamento, aos próprios sentimentos.

Touro ou Casa II – Ligação com a matéria, o dinheiro, as posses e os valores. Desligamento com relação à transformação, à paixão não-material, ao sexo transformador e regenerador.

Gêmeos ou Casa III – Ligação com ideias e a descrição, o aprendizado. Desligamento com relação ao conteúdo, ao mecanismo que está por trás das ideias, ao espírito universalista. A troca da explicação pelo fato propriamente dito.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NAS CASAS ZODIACAIS

Assim sendo: Câncer ou Casa IV – Ligação com a família, as lembranças, o lar, as crianças. Desligamento com relação à responsabilidade, ao compromisso social, ao status conquistado (ou a ser conquistado).

Leão ou Casa V – Ligação com o poder, a vaidade, a glória, o próprio ego, as crianças e os alunos, as atividades criativas, os jogos de azar e os esportes. Desligamento com relação à comunidade, ao espírito de equipe, às atividades políticas e sindicais, às utopias e ideologias em geral.

Virgem ou Casa VI – Ligação com a análise, o planejamento minucioso e meticuloso, os detalhes insignificantes, o cotidiano (doméstico e profissional), a saúde, as dietas, os tratamentos.  Desligamento com relação ao ocultismo e ao espiritualismo, à meditação e à religiosidade, à dedicação espontânea e despretensiosa a alguma causa ou alguém.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NAS CASAS ZODIACAIS

Assim sendo: Libra ou Casa VII – Ligação com alguém, com um (sempre) novo amor. Desligamento com relação à própria individualidade, à independência e à iniciativa pessoal.

Escorpião ou Casa VIII – Ligação com o sexo, a morte (em todos os sentidos), a destruição de algum valor existencial ou material, o poder ilimitado sobre os demais. Desligamento com relação ao dinheiro, à matéria, à sensação e a posse físicas.

Sagitário ou Casa IX – Ligação com a religião, os valores hierárquicos, a nobreza e a tradição, o requinte e o conforto luxuoso, as viagens. Desligamento com relação a qualquer coisa que pareça superficial, à explicação, ao discurso lógico e simples, ao estudo prático, aos irmãos e à comunidade.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – NODOS NAS CASAS ZODIACAIS

Assim: Capricórnio ou Casa X – Ligação com o papel que desempenha, o status, a imagem pública, o que pensam dele; com suas conquistas objetivas.  Desligamento com relação à família, ao passado. A pessoa joga os condicionamentos para o inconsciente, nega-os.

Assim sendo: Aquário ou Casa XI – Ligação com o grupo, a turma, o coleguismo e a amizade, a tecnologia (computadores, aparelhos eletrônicos, máquinas), o espírito reformista e revolucionário. Desligamento com relação ao poder, à vaidade, ao orgulho e, muitas vezes, à própria individualidade.

Assim sendo: Peixes ou Casa XII – Ligação com o oculto, valores espirituais, mediunidade e assuntos correlatos; com o isolamento; eventuais atitudes alienadas e de fuga; com as drogas, o álcool ou os mestres espirituais, com as doenças, as obsessões espirituais ou a elevação espiritual. Desligamento com relação à pequenez do cotidiano, às responsabilidades rotineiras, à razão e ao bom senso, à meticulosidade e ao capricho, aos cuidados com a saúde física, à organização, à burocracia.

A CABEÇA E A CAUDA DO DRAGÃO – LEITURAS RECOMENDADAS:

Finalmente:

 The Astrology of Personality, Dane Rudhyar,

Doubleday Paperback.

An Astrological Guide to Self-Awareness,

Donna Cunningham, CRCS Publications.

Ciclos de Evolução, Alexandre Ruperti, Ed.  Pensamento.

Os Nodos Lunares na Astrologia, Donna van Toen, Ed. Pensamento.

 

Valdenir Benedetti




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *