VITAMINA D – Seus benefícios

VITAMINA D>> Nenhum nutriente teve seus conceitos tão revistos nos últimos 10 anos quanto a vitamina D.

Suas funções fisiológicas, tradicionalmente ligadas ao metabolismo do cálcio, foram significativamente ampliadas.

Principalmente em decorrência  de novas descobertas sobre suas ações sobre o sistema imunológico, cardiovascular, neuro-muscular e como importante fator anticancerígeno.

VITAMINA D3

A denominação de vitamina D3 corresponde ao colecalciferol.

De origem animal e sobretudo, presente na maioria dos suplementos alimentares por ser precursor da vitamina D e por formar reservas no organismo.

VITAMINA D2

A vitamina D2 refere-se ao ergocalciferol, uma forma precursora da vitamina D presente em pequenas quantidades nos vegetais com pouca atividade vitamínica.

A molécula com maior potência metabólica é o calcitriol.

Essa substância entretanto, não é frequentemente empregada na suplementação alimentar.

Ela não forma reservas e além disso,  pode provocar aumento indesejável de cálcio no sangue.

As fontes naturais mais comuns de origem animal contêm o colecalciferol, sendo a mais clássica o óleo de fígado de bacalhau (100 U.I./g).

Tanto o salmão, quanto a sardinha, o camarão, ou mesmo, a gema de ovos são fontes alimentares importantes

Na verdade, apesar de terem as fontes alimentares relativa importância na manutenção dos níveis de vitamina D, a produção de colecalciferol, a partir do colesterol, por ação dos raios ultravioletas na pele constitui a principal contribuição para as reservas orgânicas.

Um capítulo a parte foi criado com o uso indiscriminado de filtros solares durante todo o dia

Sobretudo para evitar-se o câncer de pele, criou-se um sério impedimento à formação da vitamina D pela ação dos raios ultravioletas.

De fato, os mesmos raios com potencial para produzir câncer (UV-B) são aqueles que promovem a síntese de colecalciferol na pele.

Inúmeros estudos avaliaram os riscos desses raios e concluiu-se que a deficiência de vitamina D pode provocar mais danos que aqueles que possivelmente se estaria evitando com o uso desses filtros

Todavia, a questão parece repousar sobre o tempo de exposição ao sol necessário à síntese da vitamina.

A saber, bastam por volta de 15 minutos por dia ao sol do meio-dia.

A princípio, esse tempo não seria suficiente para induzir riscos ao câncer de pele

O calcitriol promove a absorção intestinal de cálcio através da estimulação da síntese de proteínas transportadoras de cálcio nas células da mucosa intestinal.

Em conjunto com o hormônio das paratireoides, atua na mobilização do cálcio dos ossos e aumenta a reabsorção renal tanto de cálcio, quanto de fósforo.

Por regular o metabolismo do cálcio e do fósforo, a vitamina D é importante para o crescimento ósseo infantil.

Além de  para a manutenção da saúde dos ossos e dentes na idade adulta.

E ainda, para o equilíbrio das funções quer neurológicas e/ou cardíacas e para a coagulação sanguínea.

A Importância da vitamina D

No final de 1997, a vitamina D foi apontada como uma das mais importantes substâncias capazes de estimular a produção de fatores de crescimento neuronal.

Especialmente o NGF (“nerve growth factor”).

Esses fatores teriam fundamental importância na manutenção da saúde do sistema nervoso, particularmente no que se refere à memória.

Acredita-se que sua deficiência tenha envolvimento na gênese da doença de Alzheimer

Inúmeros ensaios, tanto clínicos como em laboratório, demonstraram a importância capital da vitamina D.

Tanto sobre o sistema imunológico, influenciando a recuperação de infecções por vírus e tuberculose, assim como, seu papel nas doenças autoimunes.

Além disso, já foram estabelecidas correlações entre a vitamina D e a síntese de insulina pelo pâncreas, a ativação de linfócitos, a modulação da proliferação celular e a regulação da pressão arterial.

Há 20 anos atrás, a deficiência de vitamina D era relacionada apenas com o raquitismo em crianças e a osteomalácia e a osteoporose em adultos

Além das manifestações ligadas ao metabolismo do cálcio, estabeleceu-se que inúmeras entidades patológicas encontram íntima relação com essa deficiência.

tais como:

diabetes melitus,

hipertensão arterial,

doença cardíaca coronariana,

acidente vascular cerebral,

deficiência imunológica,

artrite reumatoide,

depressão,

esclerose múltipla,

psoríase,

fraqueza muscular

câncer (especialmente de mama, cólon e próstata).

A vitamina D3 (25-hidroxi D3) pode ainda, ser dosada em laboratório, além de constituir-se atualmente em exame de rotina.

Seus valores de referência então entre 20 e 100 ng/ml

Resultados acima de 150 ng/ml são considerados tóxicos.

As doses de vitamina D (sob a forma de COLECALCIFEROL) vêm sendo constantemente modificadas e frequentemente aumentadas.

Atualmente podemos fixar as doses como mais típicas as compreendidas entre 1.000 e 5.000 Unidades Internacionais por dia.

Com a crescente facilidade de se dosar a 25-hidroxi vitamina D no sangue, as doses empregadas podem ser facilmente escolhidas.

Isso, contudo, dependendo do resultado do exame, assim como do quadro clínico de cada paciente.

var _Hasync= _Hasync|| [];
_Hasync.push([‘Histats.start’, ‘1,4126021,4,0,0,0,00010000’]);
_Hasync.push([‘Histats.fasi’, ‘1’]);
_Hasync.push([‘Histats.track_hits’, ”]);
(function() {
var hs = document.createElement(‘script’); hs.type = ‘text/javascript’; hs.async = true;
hs.src = (‘//s10.histats.com/js15_as.js’);
(document.getElementsByTagName(‘head’)[0] || document.getElementsByTagName(‘body’)[0]).appendChild(hs);
})();

Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *