A Gematria-Numerologia Sagrada

A Gematria-Numerologia Sagrada>>

  Tudo começa no exato momento em que o Absoluto se mostra como único. E tem início todo um ciclo que, dentro do processo evolutivo kabalístico. Acontece através dos Números e das Letras, que são alicerces sagrados da Criação do Universo e do Homem.

No pseudovazio TOHU-VOHU manifesta-se o Princípio. Formado pela contração (TZIM) e pela expansão (TZUM). Os dois primeiros planos ou as três luzes do Começo, denominadas Zahzahoth.

São: TZIM (o Ponto, que representa AIN), TZUM (a expansão, que representa AIN SOPH) e AIN SOPH AUR, que representa o “Faça-se a Luz” das Escrituras.

Esses três planos Primordiais, que marcam a passagem do Absoluto para o Relativo (UM) em mais uma recriação. Como dizem os rabinos, estão ligados aos três primeiros Sephiroth do Triângulo Divino. Já dentro da manifestação do Relativo (a Criação acontecida).

A Gematria-Numerologia Sagrada – O absoluto é desconhecido

 Ou seja, enquanto os três planos iniciais, ou Zahzahoth, trabalham no plano Pensamento da Divindade. Os três primeiros sephiroth trabalham no plano Imaginação.

Enquanto que o 4°, 5° e 6° sephiroth atuam no plano Verbal. E o 7°, o 8°, o 9° e o 10° no plano Material.

 Portanto, tudo tem início no Ponto. O Começo é explicado do seguinte modo.

Absoluto é totalmente desconhecido, e por isso não pode ser explicado, apenas sentido. Antes de qualquer Criação, já que o Absoluto é sempre recriador, existe um pseudovazio – Tohu-Vohu.

Que vem a ser o CAOS (nome dado ao deus grego). E tem origem em KAOS, ou KA-OS (espírito desconhecido ou energia em desordem).

Tohu-Vohu não quer dizer vazio no sentido exato do seu significado. Mas “algo que não conhecemos”.

Pois o que pensamos ser o vazio é composto ainda de infinitas partículas.

A Gematria-Numerologia Sagrada – O pensamento divino

Partindo da Sua onipresença, a Divindade aciona Seu Pensamento. Que atua no ponto escolhido pela Vontade Absoluta. E, imediatamente, dá início ao processo de movimentação daquelas partículas.

Que se agrupam segundo um ritmo de reflexão do mesmo Pensamento Divino. Assim provocam o que denominamos contração (TZIM), formando geometricamente o Ponto.

Nesse momento é que o Absoluto começa a tornar-se o Recriador – ou seja, o Relativo.

Logo após a contração (TZIM), inicia-se a segunda fase da Criação. A que chamaríamos de expansão (TZUM).

Nesse momento, o Ponto se desfaz, espalhando-se para todos os lados (Onipresença) em infinitas miríades de reflexos de si mesmo.

E levando, através da explosão, o Grande Som Divino – o Seu Santo Nome, o Som Primordial.

Que na Geometria Sagrada é simbolizado pela espiral. Que tanto gira para o lado esquerdo, quanto para o direito. Isto para formar a Onisciência (direcionando a antimatéria) e a Onipotência (criando a matéria).

 

Autor:  Bosco Viegas




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

MeiodoCeu

material originário do antigo site Meio do Céu - Claudia Araujo, hoje denominado Grupo Meio do Céu - Claudia Araujo e composto por diversos novos colunistas. Essa é uma maneira de preservar o material do antigo site, assim como homenagear aqueles que não mais escrevem no site e/ou não mais estão entre nós nesse plano da existência. Claudia Araujo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *