Estar Preparado

Estar Preparado

Primeiramente, estar preparado é a maior prova de estar plenamente presente na vida. É ter a real consciência de quem somos e do quanto necessitamos evoluir. E que só evoluímos quando mudamos. Toda evolução gera mudanças.

I – As várias mudanças da vida:

Nascemos bebê, evoluímos para crianças, evoluímos para pré-adolescentes, adolescentes, jovens, adultos e se tivermos sorte e certos cuidados, idosos e com isso voltamos ao inicio.

Ao evoluirmos, mudamos não só as nossas convicções, mas, também a nossa aparência. Algo muda em nós. A morte começa o seu trabalho e a cada dia de vida é também um dia de morte, bem, pelo menos vencido. Somos todos vencedores. Nascemos e morremos todos os dias.

Nascer é um milagre, viver é um milagre e morrer é a única coisa natural dada ao ser humano. A cada dia morremos e vivemos intensamente esses momentos. A cada dia, milhares e milhares de células morrem em nossos corpos, são milhares substituídas todos os dias. E assim, seguimos nossas vidas sem sequer darmos conta dos fatos.

II – A mente “sempre alerta”:

Por isso a importância da mente estar “sempre alerta”. No Japão, a “atenção plena” é ensinada desde pequeno. E só assim, o povo não faz nada por impulso, gerando problemas por causa da ansiedade. Todos são condicionados, ou melhor, ensinados a praticarem a “atenção plena”. Com isso, há uma expansão da consciência e suas tarefas passam a ser menos árduas, muito pelo contrário, passam a ser plenas.

O empenho não gera cansaço, mas, prazer. Quando fazemos coisas simples e nos empenhamos, nem sentimos o “cansaço físico”.

Veja só essas tarefas diárias:

1- Você acorda, se espreguiça e senta-se na cama.
2- Levanta os braços pra cima e para os lados.
3- Respira fundo e levanta-se.
4- Caminha até o banheiro.
5- Faz suas operações matemáticas (nº 1 e 2)
6- Escova os dentes, lava o rosto, penteia o cabelo.
7- Volta para o quarto, arruma a cama, dobra os lençóis.
8- Guarda os travesseiros.
9- Tira o pijama, põe a roupa do dia.
10- Vai até a cozinha preparar o café…

Percebe quantas coisinhas você já fez e nem se cansou? Você as fez por impulso, pois, estas coisas fazem parte da sua rotina. Logo, não necessitam de muita atenção para executá-las, ligamos o nosso “piloto automático”. E está tudo certo.

Quando isso ocorre, o simples fato de não trabalharmos a atenção e a concentração em determinadas tarefas, não nos cansa. Quando começamos a pensar sobre fazer qualquer coisa, aí sim, nos cansamos muito e por pouco.

III – O olhar do outro:

Quando tomamos consciência de nossas ações, começamos a “supervalorizar” nossos feitos. Todos nós, inconscientemente. E porque não dizer, coletivamente, temos a necessidade de mostrar o quanto somos prestativos e importantes, mesmo na execução de tarefas bem simples cotidianas.

Não somos nada e com isso não nos cansamos. Todas as vezes que uma pessoa percebe que outra está lhe observando, então, esta pessoa começa uma “autoanálise” e começa a se policiar. Com isso ela melhora, com certeza.

Nosso melhor incentivo em nos fazer melhorar dia após dia é termos uma pessoa exigente nos cobrando diariamente. Isso não quer dizer ser humilhado por algum tipo de chefe com assédio moral. Mas aquele bom e velho “chefe chato”. O normal deste “chefe chato” é observar todas as suas funções e tarefas. E chamar atenção em determinados pontos. Toda vez que você comete uma falha. Se ele não te chama atenção, parabéns! Você está fazendo um ótimo trabalho.

Essa “auto avaliação” acaba, de certa forma, alterando um pouco as nossas vidas, produzindo em nós certos hábitos e novas características. Sempre que eu tenho de me apresentar para um superior, procuro me alinhar, verifico se a blusa está devidamente passada, por dentro da calça, ou se ela não está muito amarrotada, sei lá, vai que…

Verifico também se não tenho adornos ou exageros, como anéis, pulseiras, cordões, etc. Nada pode ser “berrante” demais e nem de menos. Verifico se o sapato está lustrado ou sujo. Enfim, procuro passar uma boa impressão e com isso eu melhoro também.

IV – Pequenas mudanças geram grandes milagres:

Assim, posso dizer que estas observações mudam de certa forma minha maneira de ser e de agir também em meu cotidiano. Com isso, mudamos, ou seja, evoluímos um pouquinho mais. Não faça pouco caso, pequenas mudanças geram grandes milagres.

Por que será que todos, de uma maneira geral, não conseguem ver as coisas de uma maneira mais simples, mais clara e objetiva? E até mesmo, ouso dizer, positiva? Sempre pensamos nas coisas ruins, pensamos negativamente.

Isso ocorre, porque somos “carregados” com essas ‘energias’ geradas por nossos pensamentos e consequentemente, por nossas ações. Precisamos pensar em coisas boas, mudar o nosso íntimo. E procurarmos fazer coisas positivas, até mesmo para aliviar as nossas cargas.

V – O poder da gratidão:

Quanto mais eu ajudo, mais sou ajudado. Quanto mais eu oferto, mais eu recebo. Quanto mais eu faço, mais eu sou criticado. (Kkk) Isso mesmo, quando uma pessoa faz algo sem nenhum interesse, esse ‘fazer’ torna-se bem mais forte. Ou seja, uma força extra, uma força imensa e repleta de ‘amor’.

Onde existe o ‘amor’, existe entrega. Onde existe a entrega, existe só o momento, nada mais. Aprecie cada momento de sua vida, viva bem, viva zen! Seja feliz! Saiba valorizar todas as suas ações e serviços realizados, não só por você, mas também das pessoas ao seu redor.

Procure tentar compreender tais pessoas em suas limitações, seus esforços, suas necessidades. E assim, tente se colocar no lugar delas. Com isso, você certamente evitará criticas e até mesmo passará a incentivar tais pessoas em seu dia-dia.

Se tivermos o amor dentro de nós, somos caridosos e tolerantes. Com isso, acabamos obtendo a gratidão como recompensa. Quando recebemos a gratidão sincera, limpamos quilômetros e mais quilômetros de ‘karmas negativos’ passados. E com isso, começamos a mudar o nosso presente e consequentemente o nosso futuro. Pensem nisso!

Até breve!
Gasshô!




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Li Yan

Sou Escritor... Autor de A Meditação e a neurociência... A Meditação e a aprendizagem, Meditação, Sabedoria oriental, Pensamentos Orientais, Simples assim, RESPIRE bem e viva zen, Síndromes, transtornos e distúrbios, Distúrbios de aprendizagem, Hein? Estudo sobre a memória, Melhor idade ? Será? Sou pedagogo. NEUROPSICOPEDAGOGO CLÍNICO e Teólogo Budista. Além de músico, atendo em meu consultório e ministro cursos e palestras... Contato: 11 976728557 Visite meu blog : neurotópicos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *