Comentários Astrológicos II

Comentários Astrológicos II

Perfazem-se dois meses sobre o “dia que mudou o mundo”.
( Veja 1º comentário) ( Veja perfil do invasor)

O mês de Novembro até ao próximo dia 15 ainda se encontra debaixo da influência da Lunação de 16 de Outubro, onde a principal característica, além da permanência da Oposição Saturno Plutão, é a da Quadratura de Marte.

Deduz-se deste facto, que o clima beligeroso criado pela Oposição daqueles dois Planetas, típicos das grandes depressões económicas e guerras mundiais, encontra agora condições mais propícias de acção (Marte), o que nesta perspectiva é de admitir até ao próximo dia 15 de Novembro, altura em que ocorrerá uma nova Lunação.

Como já referenciado, em artigos anteriores, a Oposição máxima em Orbe exacta entre Saturno e Plutão, ocorrerá no dia 2 de Novembro, logo após a Lua Cheia (no dia 1). Acresce que pela primeira vez, após o início dos acontecimentos, este quadro astrológico encontrará Urano Directo, o que acontece em simultâneo com a Lua Cheia.

O Directo de Urano, pode vir de modo surpreendente a gerar acções que modifiquem o desenrolar dos acontecimentos e isto mais num sentido de violência inesperada, pois que no que diz respeito a tecnologias, já tivemos a oportunidade de as verificar em “guerra cirúrgica”, em satélites especiais e aviões espião não tripulados.

Também devido às características de Urano, é de esperar agora que se desmistifiquem muitos dos interesses e informações tidas como verdadeiras, numa “guerra de desinformação e mentiras” e que isso chegue ao conhecimento público mundial, de forma clara.

Levando em consideração a Teoria dos Aspectos Astrológicos (Aspectologia), podemos associar à Oposição (aspecto de 180º) uma relação directa com o Eixo I – VII, o que de resto nos já é familiar com o Tema dos Eua, uma vez que a referida Oposição, ocorre com Plutão na Casa I e Saturno na VII (do referido Tema). Se a Casa I, tem muito a ver com a imagem ou forma como os outros nos vêem, a Casa VII tanto se relaciona com as associações, como com os inimigos declarados.

Plutão, transitou recentemente o Ascendente do Tema dos EUA, o que entre outras deduções nos pode levar a crer num envolvimento secreto e ou acções secretas, que vêm ocorrendo nos últimos tempos, por parte daquele País. Fica assim justificada a necessidade sempre presente, que a Administração Bush, tem perante a actual ocorrência de factos.

Por um lado Plutão, está ligado ao poder e apesar desse poder ser tradicionalmente um poder metamorfósico, ligado à morte e ao renascimento, não deixa de ser verdade que o poder no sentido mais literal que conhecemos, também é plutónico, nem que seja pelo facto de ele representar um limite (não ultrapassável em termos de conceito sistémico).

Existe naturalmente uma enorme polissemia de sentidos e significados, no que diz respeito à simbólica astrológica, o que se justifica pelas Leis da Correspondência e da Analogia.

Então se nos debruçarmos um pouco sobre essa temática e mesmo sem entrarmos na complexa correspondência alquímica, não nos será difícil associar Plutão ao interior, às cavernas e subterrâneos, à morte e à putrefacção.

Agora podemos analisar as coisas quer num sentido metafísico, quer num sentido pragmático. Mantendo (no sentido pragmático) o conceito de poder, que poder é esse que pode vir do interior e é resultado de uma transformação e até putrefacção? naturalmente que o petróleo e o gás natural, resultado dessa transformação.

O problema parece complicar-se um pouco se pensarmos que por um lado esta guerra desenvolve-se entre o Médio Oriente, tradicionalmente um fornecedor significativo daquele produto e uma Administração repleta de accionistas do mesmo.

Então de facto e para lá das razões publicamente referidas, haverá outras encobertas e não será esta a única, tecendo assim uma teia labiríntica (tão no modelo plutónico), que se calhar tudo o que até hoje aceitamos como verdadeiro, não passa de uma grande mentira. É nesse sentido que o Directo de Urano, pode vir a dar uma ajudinha de esclarecimento.

Neste ponto, temos de começar a análise por uma perspectiva macro do problema, independentemente das variantes que o processo possa apresentar, no plano mundo. O facto e esse é inquestionável, é que estamos perante uma crise de poder, gerada por uma Oposição Planetária, baseada por um lado pela resistência de Saturno e por outro pela transformação de Plutão.

A pergunta de fundo pode agora surgir em termos de quem é que ganha destas forças. A resposta é simples e evidente para qualquer astrólogo: Plutão! e quem é de facto Plutão? na verdade ele nunca é quem parece!…

Plutão é um mestre do disfarce ao ponto da invisibilidade. Dificilmente se conhecem as suas estratégias, porque é profundo, enigmático e estratega. Todos nós temos uma quota parte dele, em última análise podemos dizer que ele representa o nosso inconsciente, mas já que estamos a falar de Astrologia Mundial, podemos também dizer que ele representa o inconsciente colectivo e de certa maneira o lado oculto das coisas.

Para nós Ocidente (metaforicamente falando) ele pode representar o Oriente. Mas, continuamos com uma questão de perspectiva – Para o Oriente ele pode representar o Ocidente. Tudo é de facto uma questão de perspectiva.

Quem não se lembra do “Clube dos Poetas Mortos”? a própria Terra vista do Sol (perspectiva Heliocêntrica) é o terceiro corpo do Sistema (tem Mercúrio e Vénus pelo meio), mas se olharmos o Universo do ponto em que vivemos (perspectiva Geocêntrica), podemos dizer que somos o centro. Este simples facto de perspectiva, foi objecto de polémica, quando na verdade se trata apenas de Sistemas de Referência.

É curioso que uma das figuras que polariza o mundo, Ossana bin Laden, tem no centro do seu próprio nome a sigla “bin”, o que simbolicamente nos poderia levar a bin = binário, ou seja ele e o outro, mas, quem é esse outro? enquanto figura representativa de Plutão e tal como ficou referenciado em – o perfil do agressor – ele nem é dois, são sete! e as perguntas continuam: mas, quem são esses sete? eu também não sei responder, mas a lógica leva a aceitar que integrado num mundo tecnologicamente dominado, um homem com tantas ramificações e implicações como é que escapa às malhas de uma CIA, dum FBI, da Interpol, de tropas especializadas, e se torna o homem mais publicitado e procurado do mundo e sorri serenamente para as câmaras de televisão? é óbvio que dispõe dum sistema complexo de informação e não está sozinho no mundo do poder!

Matá-lo o que tem sido impossível, não nestes últimos dois meses, mas há longo tempo, o que é que resolveria? Para o Ocidente ele é o terrorista mais procurado, paro o Oriente o santo! será que o próprio mundo está perdido numa questão de perspectiva?

Logo após a Lunação de Novembro (dia 15), irá começar o Ramadão! os EUA, parecem dispostos a continuar o seu actual modelo de acção militar, num tempo considerado santo pelo Islão. Se assim for, isso pode ser tomado como provocatório e ser um incitamento à guerra santa. Quem ganhará com isso?

Para já o proximo dia 4 de Novembro, pode ser um dia muito complicado para os EUA. Considerem-se os seguintes factores:

1 – Urano estará Directo, após 30 de Outubro (às 20:24 TMG).
2 – A tensão máxima Saturno / Plutão conclui-se matematicamente dia 2 (às 07:18 TMG).
3 – Júpiter passará a Retrógrado dia 2 (às 15:54 TMG).
Estes três factores seriam os suficientes para alterar de fundo o quadro da situação, mas temos mais:
4 – Marte fará no dia 4 um retorno ao Marte progredido primário, do tema dos EUA.
5 – Nesse Mapa, Marte representa o Estrangeiro e ocupa a referida Casa VII (inimigos declarados).
6 – Plutão é nesse mesmo Mapa o Regente do Fundo do Céu, o que se liga com o ponto 2.
7 – Em termos de Trânsitos dia 4, Marte fará um Septil a Plutão, o que liga os pontos 2, 4, 5 e 6.
Júpiter é o Regente do Ascendente dos EUA, a que se liga ao ponto 3.

O Retorno de Marte (ponto 4), é feito no Signo de Aquário, donde Urano é Regente (ponto 1).

Traduzindo :

Um acontecimento inesperado, pode afectar sériamente os EUA. Aparentemente a hipótese leva a um novo atentado no seu próprio território, mas também pode resultar dum acontecimento externo.
Plutão / Saturno em Astrocartografia, projectam-se actualmente sobre o Afaganistão e Paquistão, ambos fronteira com o Irão, politicamente mal relacionado com os EUA. Se as coisas mudam no Paquistão, a China onde agora se projecta um Júpiter Retrógrado (Regente dos EUA), fará com que aquele País venha a tomar um papel activo no actual conflito.

Fernando Albuquerque ¨ in memoriam ¨




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

MeiodoCeu

material originário do antigo site Meio do Céu - Claudia Araujo, hoje denominado Grupo Meio do Céu - Claudia Araujo e composto por diversos novos colunistas. Essa é uma maneira de preservar o material do antigo site, assim como homenagear aqueles que não mais escrevem no site e/ou não mais estão entre nós nesse plano da existência. Claudia Araujo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *