Thor, o filho de Odinn II

Thor, o filho de Odinn II

Thor era um deus celeste. Regia tanto os raios quanto os trovões, defendia a Terra, Midgard, dos malignos gigantes, com a força e a coragem de um grande guerreiro.

Thor era um matador de gigantes.

Foram encontrados dois fragmentos de poemas dedicados a Thor escritos na segunda pessoa, basicamente uma lista dos nomes dos gigantes mortos pelo Deus do Trovão.

Nem todos os gigantes mortos por ele são famosos, muito de sua história e mitologia foi perdida e não preservada.

Sagas, assim como lendas e histórias, contadas sem profundidade, apenas preservando o essencial.

Thor pode ter matado um gigante de Nove cabeças.

Thor matou gigantas igualmente, pois elas representavam os aspectos femininos sombrios gerando força dentro do caos.

Thor era um especialista em matar gigantes, muitos em várias circunstâncias, mas não matava anões deliberadamente.

No caso do pretende de sua filha pudemos observar.

Como também não se aventura no mundo da magia.

Thor é frequentemente destinado a atravessar grandes águas, devido a ser tão imenso e pesado, ele não pode utilizar a Bifrost, a ponte que liga os Nove Mundos, guardada por Heimdall, devendo dar a volta pelo rio.

As águas representam o estado emocional.

Em Grimnísmál, Thor tinha negócios com os gigantes das fronteiras, por isso percorria grandes distâncias atravessando os rios pois não podia atravessar pelas pontes.

A palavra chave para Thor é Força!

Todavia não era imune aos infortúnios, à magia e ou às armadilhas.

Ele não detinha um controle total sobre tudo, era submetido ao destino e às forças naturais.

Como podemos observar em alguns de seus mitos, as vezes também precisava ser salvo.

Na luta contra Hrugnir, Thor sofre uma queda e fica preso sob a perna do gigante de gelo e somente Magni, seu filho ainda com apenas três anos de idade, consegue suspender o enorme corpo para que ele pudesse soltar-se, e emocionado, o pai abraça o infante.

Thor se deslocava em sua carruagem de Bronze conduzida por bodes negros, fortes e robustos.

Os Bodes de Thor são chamados de Tanngnjóstr e Tanngrisnir, e devido a isso é chamado de Öku-Thor, o mais forte de todos os deuses e homens.

É interessante ressaltar que o Deus do Trovão também se servia de seus bodes de uma outra maneira: quando com fome, os matava, e deles se alimentava com quem mais estivesse, soldados e acompanhantes de jornada.

Após terem sido degustados, seus ossos eram agrupados e sobre eles, Thor colocava seu Martelo, e a forma natural dos animais era restaurada, voltando à vida e a conduzir a carruagem.

Por conduzir a biga, seu ruído era interpretado como o som trovejante.

Ele era considerado um condutor através do céu, uma representação deificada do trovão.

Com certeza este conceito era bem alicerçado entre os povos do Norte Setentrional desde os tempos antigos.

O termo lapônio para Trovão pode ser derivado de uma forma arcaica do Nórdico antigo, Reidr, que tanto pode significar trovão como também um veículo movido com rodas.

Thor frequentemente viajava acompanhado seja por seu assistente humano, Thjálf, e ainda em outras ocasiões, Loki o acompanha e em outras, por Tyr.

Por ser humano, Thjálf representa as afinidades entre o deus e aqueles a quem deve proteger.

Isso ficou registrado nos artefatos com desenhos e símbolos representado o Mjöllnir, em miniaturas.

Mitologicamente, Thor é o defensor de Asgard por isso está sempre atento aos perigos e ameaças causadas pelos gingantes ou por Loki.

Ele está sempre alerta, protegendo e cuidando para que todos possam sentir-se seguros e tranquilos.

Como Guardião da Ordem Social, ele é o pilar que sustenta o templo. Thor impõem uma ordem natural, personificando a Lei sem rigidez.

Como arquétipo, Thor representa defesa com justiça, símbolo de proteção com garantia de bem-estar e tranquilidade.

_Tudo está bem pois Thor nos protege!



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Priscila Prisca

As runas vieram pra mim logo no início dos anos 2000. Em 2001, comecei a estuda-las. Havia mais de 20 anos que lia o I CHing. Inicialmente pensei que estava estudando pra mim, mas descobri rapidamente que não, pois minha vida se transformou. Fui morar em São Thomé das Letras no inicio de 2003 e lá as runas assumiram o papel principal na minha vida Desde então, trabalho com elas, atendendo com modos diferentes de acessar as informações, não apenas presencialmente em São Tomé e São Paulo, mas também online devido à minha sensitividade e práticas. Estudo também Astrologia e Numerologia, e sempre buscando pela excelência, buscando a evolução. pelo amor, pelo conhecimento e pela pratica desse conhecimento. Aprender é bom, mas praticar é melhor ainda. contato whatsapp 011 987 391 854

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *