A Sacada Saturnina de Sakamoto

A Sacada Saturnina de Sakamoto

Pode ser que ele tenha sido auxiliado por um astrólogo. De qualquer forma Leonardo Sakamoto teve a coragem de publicar um artigo falando de Astrologia na sua coluna do UOL no dia 11 de outubro passado.

Nela ele cutucou, mais como um deboche, Olavo de Carvalho, para em seguida ir ao cerne da questão.

A verdade é que desde que Mercúrio entrou em Escorpião em outubro de 2019.

Principalmente na sua sombra da retrogradação, pensamentos profundos, tramas diabólicas e mistérios indizíveis começaram a vir à tona.

Nessa sua coluna, Sakamoto compara três presidentes do Brasil: Jânio, Collor e Bolsonaro.

Em primeiro lugar, Jânio foi eleito em 1960 e renunciou.

Em segundo, Collor foi eleito em 1989 e foi destituído.

Em terceiro, Bolsonaro foi eleito em 2018 e antes mesmo de se completar um ano de mandato, sua base se dissolve dia a dia.

O que há de comum entre eles?

Collor foi eleito 29 anos depois de Jânio e Bolsonaro 29 anos depois de Collor.

Há, pois, um ciclo de Saturno entre essas eleições. E se há uma coisa que se repete na vida são os padrões de comportamentos individuais, familiares e sociais.

A Astrologia que faço se baseia mais nessas repetições de padrões.

Muitas vezes padrões cármicos, que podem ser chamadas de fractais de comportamento.

Ou ainda, de rupturas, ou mesmo, mudanças radicais, do que em possíveis trânsitos pelos quais o país passa tendo em vista a sua data de independência.

Essas datas mencionadas por Sakamoto são fatos registrados e documentados na história recente de nosso país.

É como uma parceria, uma sociedade ou um casamento que passa por ciclos de 7-8 anos. Decerto, um quarto de ciclo de Saturno, pedindo reestruturações.

Saturno pode ser o estruturador, e é, mas não é doce, não é cor-de-rosa e não perdoa.

Tanto que as questões profundas e cármicas das quais nos desviamos de resolver no primeiro ciclo, nos espremem no segundo, se é que não pega antes numa fração diferente do ciclo ou num outro trânsito.

Da ceifa de Saturno ninguém escapa, de um jeito ou outro.

Podemos explorar isso em termos terapêuticos ao olhar onde Saturno está hoje, quais situações que nos impõem de acordo com nosso discernimento e comparar com o que nos aconteceu há 29 anos atrás ou mesmo meio ciclo ou quartos de ciclo antes.

Muitos entendimentos emergem quando temos esse olhar interessado na nossa evolução.

Então, cabe a questão:

como o atual presidente vai se livrar desse carma, dessa repetição saturnina?

Teria ele forças para reverter, para transformar, usando, quiçá, os arquétipos dos astros trans-saturninos? Ele que está com o trânsito de Quíron em seu Sol, o que estaria precisando curar interiormente? Teria ele abertura e lucidez para tanto?

A Astrologia Arquetípica não define nada, não faz previsões determinísticas, mas irmanada à Física Quântica, aponta possibilidades.



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Ivan Guerrini

Físico, mestre e doutor pela USP, pos-doc em Sistemas Complexos na Universidade de Nebraska, EUA, astrólogo, palestrante e escritor. e-mail: ivguerrini@hotmail.com, whatsapp: (43)9-8816-7450. FB, instagram e youtube: Ivan Guerrini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *