Astrologia cármica é realmente cármica?

Astrologia cármica é realmente cármica?

Antes de mais nada, decidi começar esse artigo por uma interrogação. De fato, tudo que se refere à carma ou vidas passadas nos remete à uma interrogação.

Afinal, aonde poderíamos adquirir tal certeza?

Embora a leitura cármica que fazemos de um mapa possa ser perfeita, outros fatores podem apontar para essa exatidão de leitura, embora não cármicos.

Inegavelmente, o ponto de partida de uma leitura cármica que são os Nodos Lunares, nos apontam caminhos. Entretanto, sua origem é que pode e deve ser questionada.

Decerto o Nodo Lunar Sul nos fala de excessos e de padrões inconscientes e repetitivos. Entretanto, eles se referem exatamente a acúmulos de vidas anteriores?

Caso desejemos ser honestos com o cliente, a resposta é não

Existem numerosas razões para essa resposta. Por exemplo:

1. em primeiro lugar, não somos conscientes suficientemente dessas vidas para apontarmos com tamanho empenho que a leitura é cármica. Talvez seja apenas uma nomenclatura.

2. em segundo lugar, pesquisas russas apontam para uma herança genética psicológica em nosso DNA que remonta aos nossos mais remotos ancestrais. Ou seja, isso pode estar ali por herança genética e não cármica.

3. em terceiro lugar, eles nos falam de excessos prejudiciais à nossa vida. Portanto, de padrões constelados e inconscientes que são obstáculos ao nosso crescimento.

Nossos mapas são repletos de padrões e constelações arquetípicas a serem trabalhadas conscientemente

Assim sendo, teríamos que reconhecer a Astrologia em sua totalidade, como Astrologia Cármica.

Caso sejamos reencarnacionistas, essa é uma verdade incontestável. Nosso mapa astrológico aponta caminhos para nossa evolução.

Entretanto, sabemos que se fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e não somos deuses, nossa jornada é de fato de evolução.

Potencialmente, somos todos deuses, embora ¨in potentia¨

Isso quer afirmar que nosso propósito é o aprimoramento para que cada vez mais, vivamos nossa totalidade sem desconfortos.

A leitura em linguagem cármica ajuda muito nesse processo, mas vale atentar para o fato de que não é a única leitura apta a desempenhar esse papel.

Padrões arquetípicos constelados, nos levam a agir de forma inconsciente. São processos autônomos e podem obstar nosso crescimento. Sejam eles cármicos ou não.

A Alquimia descortina isso com total clareza

O que seria o ouro alquímico tão almejado pelos alquimistas?

Decerto, não seria o ouro material. Era algo muito mais valioso e que uma vez achado não seria mais perdido. O nosso próprio aprimoramento, assim como a integração de nossa sombra, nossa persona e todos os demais aspectos de nossa personalidade que atuam de maneira inconsciente.

Os alquimistas, por outro lado, associavam as fezes e excrementos como sendo a matéria prima que dá origem ao ouro alquímico.

Essa imagem nos remete à nossa sombra, aquilo que não costumamos enxergar em nós mesmos. É ela, a substância vil que através de sucessivos processos de transformação se transforma no Lápis ou no Ouro Alquímico.

Nosso Nodo Lunar Sul, pode muito bem ser lido como essa matéria vil mas capaz de nos encaminhar por essa senda da transformação interior

Nosso Nodo Lunar Norte também usado como ferramenta de aprimoramento pela Astrologia Cármica, pode ser a bússola, cármica ou não, para nos auxiliar nessa caminhada.

Igualmente, vários outros pontos do mapa astrológico são essenciais para nos apontarem esse caminho e possível evolução. Sejam eles cármicos ou não.

Em síntese, o que gostaria de deixar claro com esse artigo, é que não importa a linguagem que usemos. Seja essa linguagem cármica ou não, o importante é ajudarmos ao cliente nessa travessia.

Falarmos vários idiomas para nos referirmos aos mesmos fatos é útil, e pode até ser imprescindível, porque a comunicação só se processa numa linguagem que astrólogo e cliente dominem.

Da mesma forma, de nada adianta falarmos português com quem só entende francês ou outro idioma diverso.




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Claudia Araujo

Aquário com Gêmeos, sou muitas e uma só. Por amar criar com as mãos, sou designer de biojóias e mantenho o site terrabrasillis.com, assim como pinto aquarelas e outras ¨manualidades¨. Por não me entender sem a busca do mundo interno do outro, sou astróloga com 4 anos e meio de formação em psicologia analítica sob a supervisão de José Raimundo Gomes no CBPJ – ISER e já mantive por anos o site Meio do Céu. Nessa nova etapa mantenho o site grupomeiodoceu.com. Dou consultas astrológicas e promovo grupos de estudo de Jung e Astrologia, presenciais e online. São várias vidas vividas numa única existência, mas minha verdadeira história começa aos 36 anos, e o que vivi antes ou minha formação acadêmica anterior, já nem lembro, foi de outra Claudia que se encerrou em 1988. Só sei que uso cotidianamente aquilo em que me tornei, e busco sempre não passar de raspão pelo mapa astrológico do outro. Mergulhar é preciso, e ajudar o outro a se transformar, algo imprescindível. Só o verdadeiro autoconhecimento pode gerar transformação. Não existe mágica, e essa autotransformação não ocorre via profissional, mas apenas através do real interesse do cliente em buscar reconhecer como se manifesta em sua vida cotidiana e qual seu potencial para a transformação. Todos somos mais do que aquilo que vivenciamos. A busca deve passar sempre pelo reconhecimento daquele eu desconhecido que em nós mesmos habita. A Astrologia é um facilitador nessa busca porque nela estão contidos tanto nossos aspectos luz quanto sombra. Ela resolve nossos problemas? A resposta é não. Ela apenas orienta no sentido do reconhecimento de nossa totalidade. A busca é do cliente. A leitura é do astrólogo, mas só o cliente poderá encontrar o caminho de sua totalidade e crescimento responsável. websites : www.terrabrasillis.com e www.grupomeiodoceu.com Fale com Claudia direto no Whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *