Nossas mamas sob o ponto de vista emocional

Nossas mamas sob o ponto de vista emocional

As mamas são importantes representações da identidade afetiva das mulheres. Elas simbolizam, além de sua feminilidade, sua postura diante da vida e toda condição de exteriorização do amor e afetividade. Assim também simbolizam ternura e docilidade.

A natureza feminina é expandir a afetividade e sua sensibilidade. Porém, quando a mulher vive sentimento de frustração por abandono, traição ou outra situação, suas emoções se retraem. Por isso, essa mulher deixa de se expressar.

Nossas mamas sob o ponto de vista emocional – A retração da afetividade

Ressentimentos, mágoas, tristezas profundas, quando não são elaborados, impedem a mulher de se abrir à novas experiências afetivas. Isso tudo porque abala sua autoconfiança, amor próprio e autoestima.

Portanto, a retração dessa afetividade causa um bloqueio energético e, como consequência, gera duas situações:

1) a mulher fica fria com as pessoas e se afasta; 2) a mulher fica dependente e insegura, podendo ficar até possessiva em relação a outra pessoa e coloca no outro a necessidade que ela tem da afetividade.

Nossas mamas sob o ponto de vista emocional – Um processo emocional pode levar a um câncer de mama

Os nódulos mamários benignos ou tumores malignos representam, portanto, bloqueios sentimentais, ou seja, afetivos. É a falta de expressão e manifestação amorosa, seja por si ou pelo outro. A gravidade do problema varia conforme o caso e a história dolorosa de cada mulher.

Assim, o câncer de mama, segundo a visão metafísica, são ressentimentos, mágoas e tristezas profundas que não foram elaboradas e bem resolvidas. Esses bloqueios impedem a mulher de se abrir à novas experiências afetivas ou, por medo do sofrimento, faz ela se dedicar extremamente ao outro, anulando-se.

Lembrando que entre as mamas, fica o chakra cardíaco irradiando todo nosso amor e dor, tocando sutilmente as mamas para curá-las ou adoecê-las…

Sendo assim, a mulher que aprende a ler os sinais de seu corpo desperta o poder de auto cura e busca os caminhos certos para curar seu corpo através de suas feridas emocionais.

 

crédito de imagem destacada: https://pixabay.com



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Maria Alice Gallerani

Sou Maria Alice, tenho 31 anos e sou formada em Biomedicina, profissão que me abriu caminhos para chegar até os estudos da saúde da mulher. Porém, as terapias integrativas foram plantadas no meu coração há cinco anos, a partir do meu processo de renascimento, com a chegada da minha filha ao mundo! Foi naquele momento que senti a necessidade de buscar a conexão com a minha verdadeira essência e, então, iniciar o meu processo de desconstrução e reconstrução. Desde então venho buscando caminhos que me auxiliem nesse percurso de sintonização entre a minha essência individual e a forma como posso servir de facilitadora para outros nesta busca do equilíbrio psíquico e corpóreo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *