Runas, magia, segredo e mistério I

Runas, magia, segredo e mistério.

O alfabeto escandinavo e saxão possui uma leitura secreta, carregada de mensagem mística. Da mesma forma os dedicados a compreender a influência das deidades regentes, mitos e histórias, desvendam esse mistério fabuloso.

O FUThARK (alfabeto escandinavo e saxão, com maior número de letras), possui 24 letras.

Por outro lado são 25 representações simbólicas com a Runa em branco.

De antemão é um oráculo altamente feminino. Ainda mais por ser consultado por sacerdotisas em grandes decisões. Em suma, existem relatos históricos de consultas para tomada de decisões em ações antes das batalhas.

As Runas servem para testar caminhos, do mesmo modo oferecem uma visão do caminhar e perspectivas.

Mesmo os Ases (clã do Aesir) sendo a mais importante família de Asgard (morada dos deuses).

Definitivamente, elas possuem uma identificação forte com os Vannes (clã do Vannir), mais específicamente com a deusa Freyja.

A deusa Freyja é filha de Njord, senhor do mar, e a giganta Skadi, irmã de Freyr.

Enfim existem algumas hipóteses sobre Freyja ser irmã gêmea de Freyr, ou de serem a mesma pessoa em seu lado feminino e masculino (essa segunda teoria acontece, creio que por relatos de viagens dela, montada no javali dourado do irmão. Esse relato mescla feminino e masculino em sensações)

Freyja ainda possui uma representação que a equipara a uma Valkiria.

Ao mesmo tempo não pode ser considerada uma Valkiria, logo não guarda celibato necessário para conduzir ao Valhallah ou Valhöll (salão dos mortos) os verdadeiros merecedores.

Posteriormente Odin ainda permitirá a entrada do escolhido em Asgard (morada dos deuses), os que ficam viram Beserkers (guerreiros de pele de urso) de seu exército.

Além disso, Freyja era cultuada por sacerdotisas, que faziam profecias divinatórias, as Volvas.

Em algumas literaturas é chamada de volva. Afinal viaja entre mundos em sua carruagem de gato, ou na de Javali do irmão.

Antecipadamente existe a possibilidade de alguns símbolos rúnicos saírem em posição direita ou invertida.

Assim também podem sair emborcadas, fechadas, com a letra para baixo.

À primeira vista, fechada ou emborcada, representam a não percepção de algo, que ao mesmo tempo pode estar no inconsciente ou em negação.

Logo, é preciso focar nessa leitura em específico com clareza para ser compreendida a mensagem, sem decodificação aberrante (entendimento deturpado da fala).

Porém, as Runas muitas vezes falam sobre assuntos conscientes do consulente, assim parecendo que já é sabido, logo sem previsão ou novidade.

Dessa forma a escuta do consulente precisa ser mantida, para que possibilite insights (a percepção, a introspecção e a conscientização).

Desde já afirmo que existem várias deidades nórdicas, porém irei relatar apenas as que possuem regência rúnica.

. Odin (rege EIHWAZ e WIRD)

Principal deidade de Asgard. Chefe do clã do Aesir.

Depois de nove dias e nove noites pendurado de cabeça para baixo na YGGDRASIL (árvore do mundo, que sustenta os nove mundos). Ainda mais com sua lança de freixo transpassando seu corpo, perdendo sangue, sem comer e sem beber nada.

Enfim com esse rito de auto-sacrifício, Odin já chefe do clã do Aesir, consegue obter a visão das Runas (algumas literaturas trazem que refletidas na fonte do conhecimento, outras dizem que caíram desenhadas em lascas da árvore do mundo).

Assim também é importante ressaltar que o sacrifício não parou por aí.

Exste a esse respeito, um relato sobre como obter o conhecimento do mistério daqueles símbolos.

Dessa forma pede permissão a Mimir, para beber da água da fonte do conhecimento, deixando em troca um dos seus olhos.

Enfim, nem é preciso dizer que precisa ser reverenciado na abertura da consulta.

segue




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Michelle Vandesteen

Shiatsuterapeuta, formada pelo Senac, 2008; Acupuntora formada pela Escola Neijing, 2010, com 2 cursos de formação na mesma instituição. Foi interna na Escola Neijing em 2009/2010, sendo professora substituta durante esse período e participando de projetos sociais de tratamento com acupuntura nos morros Rocinha e Morro Azul. Atua de forma terapêutica desde 2008, iniciando sua trajetória nas Clínicas Harmonia e Saúde; e Centro Vital. Microempreendedora Individual (MEI), desde 2012. Atua hoje prestando serviços em empresas pelo MEI, em alguns setores do Banco do Brasil e uma empresa do Banco do Brasil - BRBPO. Professora de Shiatsuterapeutico, no Curso de Técnicas e Fundamentos da Medicina Oriental aplicada no Shiatsuterapeutico. Contato: Celular com Whatsapp (21)988795152

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *