DA CASA DE PAPEL PARA A CASA DO CORAÇÃO

DA CASA DE PAPEL PARA A CASA DO CORAÇÃO

Notícias mundiais informam que o ator, Miguel Herrán da série da Netflix, ‘La Casa de Papel’, não pode continuar as gravações por apresentar o que seria um quadro depressivo.

Em seu perfil no Instagram o famoso ator deu um depoimento.

Esse parece ser o primeiro chute em direção ao que poderia ser considerado o gol inevitável rumo à autenticidade de sua vida.

No vídeo o ator aparece chorando e dizendo que não sabe o que está acontecendo.

Seu depoimento:

“Eu poderia postar milhares de fotos legais que colecionei para alimentar essa máquina mentirosa que é o Instagram. Eu poderia inflar o meu ego e preencher o meu vazio com likes… mas não hoje!

Hoje eu decidi dar-lhes uma parte sincera de mim…

Eu não vou entrar em detalhes sobre o que está acontecendo comigo, porque eu nem sequer sei disso.

Mas este aqui sou eu. Sem filtros, sem adoçantes e sem mentiras”.

O que o ator provavelmente descobrirá em breve é que não há nenhuma necessidade urgente de conceder ao mundo a parte mais sincera dele mesmo.

Se meditar sobre seu sofrimento se dará conta de que ofertamos ao mundo o que conquistamos no silêncio da dor. Neste caso, portanto, da dor depressiva.

Uma outra sabedoria resultante da destilação da angústia depressiva é aquela que nos diz que somos nós mesmos a primeira pessoa a receber a nossa mais profunda sinceridade!

E isso está longe de ser uma tarefa fácil…

Se consolidamos essa posição de agir com verdade interior, doa o que doer, e não nos afastar dessa direção do coração, então o mundo outra coisa não receberá de nós a não ser a verdade.

Tenho a impressão de que a dor depressiva, de alguma forma, é a mesma dor avistada na antiguidade e que recebia um “diagnóstico” muito mais animador do que a terminologia moderna. Chamava-se RITO DE INICIAÇÃO.

Perguntamos: Iniciação à que? Ao óbvio! Basta observar a natureza imaterial da aflição depressiva. Iniciação as necessidades da alma, à escuta do eu profundo, daquilo que é o nosso ser essencial. Essas dores da alma nos forçam a enxergar de que matéria realmente somos constituídos!

Por ser jovem, o ator acredita que o INSTAGRAN é uma máquina de mentiras. Mas pode ser também uma máquina da verdade, como a VERDADE DE SUA DOR que nos foi compartilhada no mesmo INSTAGRAN.

Em algum momento o ator descobrirá que a única máquina de mentiras que há no mundo somos nós mesmos.

Mas se somos mentiras de algum modo somos também verdade. E a verdade chega até nós não raramente através da dor. A dor é o solvente das nossas mais caras ilusões.

Não devemos resistir a ela mas, ao contrário, devemos permitir que faça o seu trabalho de transformação. Transformação de nossa mente, transformação do nosso ser, do nosso viver, de nosso olhar sobre nós mesmos e sobre o mundo.

Sorte para Miguél…




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

José Raimundo Gomes

J. R.GOMES é psicólogo clínico no Rio de Janeiro. Tem consultório na Tijuca e na Barra. Contato: jrgomespsi@yahoo.com.br / WhatsApp: 21.98753.0356

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *