FANATISMO E PODER

FANATISMO E PODER. COMO A RELIGIÃO É USADA PARA ENGANAR INOCENTES E CORAÇÕES ANGUSTIADOS.

É uma realidade: a fé é uma faca de dois gumes.

Ela nem sempre nos ilumina, além do mais, pode também nos cegar. Tornar-nos fanáticos.

Graves problemas psicológicos estão ocultados nesse “zelo religioso” que exibe sua fé irrigada pelo ódio ao diferente.

O mundo está cheio de Religiões cujos fiéis tomam equivocadamente, a si mesmos como os legítimos e exclusivos representantes de Deus no mundo.

São os donos de Deus, como se Deus tivesse concedido a eles uma procuração exclusiva para falar em Seu nome.

Quando esses grupos não se matam mutuamente, ora odeiam-se mutuamente, ora caluniam-se mutuamente. Tudo isso em nome do amor verdadeiro, do Deus do perdão, do Deus da misericórdia que dizem representar! Que ironia!

Vistos de longe, exibe-se claramente o quadro psicopatológico:

Deus é objeto de uso e de abuso de seus interesses pessoais. Sua meta portanto, é uma mal disfarçada fome de dinheiro e poder de seus diabólicos egos.

Como um brinquedo nas mãos de uma criança mimada os donos de Deus não sabem partilhar.

Tampouco sabem dividir, celebrar em comunidade, respeitar o diferente e acolher o mistério divino e suas infinitas fisionomias.

Eles sentenciam cheios de imponência:

“a Deus nada é impossível” mas quando se deparam com alguém que professa um outro credo religioso diferente do seu, esquecem completamente o que afirmaram, sem que seus fanatismos lhes permitam refletir que esse “nada é impossível a Deus” refere-se justamente a isto: Se Deus quiser ser Cristo, Shiva ou Buda, ele será e será porque nada lhe é impossível!

O fanatismo religioso exibe as motivações que quer ocultar e revelam de modo claro o projeto, não de amor, mas de poder.

Esse seu real objetivo.

Ou é o meu Deus ou não é nenhum: é a sentença da arrogância que pretende ser sábia e iluminada por Deus.

Os malévolos dono da verdade estão de tal forma convencidos de que a verdade lhes pertencem que não lhes ocorrem pensar que suas palavras em defesa de Deus podem soar aos ouvidos do Altíssimo como blasfêmias.

Se o conteúdo da lavagem cerebral que os fanáticos de todas as religiões perpetram contra os desesperados, e se houver um Deus e uma justiça divina então cada mentira propagada visando o próprio interesse será paga com “choro e ranger de dentes” no fim dos tempos!
Não tenho fé nesse acontecimento!




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

José Raimundo Gomes

J. R.GOMES é psicólogo clínico no Rio de Janeiro. Tem consultório na Tijuca e na Barra. Contato: jrgomespsi@yahoo.com.br / WhatsApp: 21.98753.0356

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *