Tempos sombrios e o ano do Sol: uma visão astrológica de 2020

Tempos sombrios e o ano do Sol: uma visão astrológica de 2020

A regência do Sol em 2020 tem se expressado tanto pelo aspecto de ser a estrela central que ilumina tudo o que toca, quanto por seu lado escuro e menos conhecido.

Ter o Sol como o regente anual de certa forma tem sido o alívio para muitos, especialmente nesse momento no qual vivemos. O Sol é o astro Rei que dá à luz, que dá a força para olhar para si e valorizar-se. É ele também que nos tira do frio, traz alegria, vivacidade e aquece o centro do nosso corpo cuja regência é solar: o coração.

Com o propósito de compreender o lado menos conhecido, gostaria de falar um pouco sobre o aspecto escuro do Sol. Além disso, relacionar esses pontos com a sombra coletiva constelada por Saturno-Plutão e os eclipses deste ano, que parecem confirmar o momento sombrio que atravessamos.

Para isso, começo falando sobre o conceito de Jung da sombra. Quando Jung se debruçou nos estudos desse aspecto da psique, ele deixou claro que não são os pequenos erros ou deslizes de uma pessoa. A sombra é mais complexa e profunda do que isso em nível pessoal. Por ser arquetípica, a sombra também é a escuridão coletiva.

Jung trouxe algo sobre a sombra que é essencial compreendermos nesse momento: a sombra como uma questão moral.

“A sombra constitui um problema de ordem moral que desafia a personalidade do eu como um todo, pois ninguém é capaz de tomar consciência desta realidade sem dispender energias morais. Mas nesta tomada de consciência da sombra trata-se de reconhecer os aspectos obscuros da personalidade, tais como existem na realidade.” – Jung (Vol. 9/2: p. 20).

Só para ilustrar, as figuras associadas à sombra que aparecem nos contos de fadas e mitos, mostram a identificação dessas figuras com o poder e a destruição. A sombra vista sobre o aspecto moral também convoca Júpiter, que formou aspectos importantes com esses dois planetas em capricórnio, ampliando as questões.

Jung também encontrou algo latente na escuridão, uma sombra do Sol, que está vinculada a Saturno e nigredo na alquimia. O que chamamos de tempos sombrios, é um termo emprestado de Hannah Arendt que tem relação com essa erupção da sombra coletiva. Isso também é muito parecido com Plutão. Os trânsitos de Saturno-Plutão com frequência trazem a erupção da sombra na forma de conflitos ou crises coletivas.

A forte energia capricorniana do encontro entre Saturno-Plutão representa mudanças nas estruturas de poder, na política mundial e governos, visando o reparo de erros e abusos de poder.

Vivemos então esse tempo em que por um lado temos a possibilidade de ver muitas coisas para transformá-las (Sol). Por outro lado, há um mecanismo de defesa netuniano de negação da realidade que vivemos. Negação é um dos mecanismos inconscientes nomeado por Freud como uma defesa do ego associado ao medo do desconhecido (Saturno-Plutão).

A sombra tem muitas faces diferentes e sobretudo é uma questão muito dolorosa quando se apresenta (seja dentro ou fora). Seja como for, a principal função da sombra está no desenvolvimento da personalidade. Mas não só o desenvolvimento, como também há alguma redenção.

Para que a realidade seja transformada é necessário o olhar objetivo, consciente e responsável.

O trabalho consciente com a sombra nos leva a um estado mais ampliado ou aperfeiçoado do que antes.

Portanto, o ano do Sol nos estimula a essa compreensão, que está na visão para além das máscaras. O Sol traz clareza para ver as sombras, as mentiras, os erros e as distorções do poder. O Sol ilumina o que contamos para nós mesmos sobre quem somos.

A partir de 05 de junho, os eclipses acontecem em um novo eixo “Gêmeos-Sagitário”. No mesmo eixo, os Nodos Lunares também estão posicionados no ciclo maior de evolução coletiva. Os eclipses são também grandes catalizadores da escuridão e aceleram o processo de evolução. Isso significa que passamos a ter valiosos aprendizados sobre a troca de informações e os modos de comunicação.

É como se estivéssemos sendo desafiados ao desenvolvimento do trabalho com a sombra. O ano do Sol de fato tem nos estimulado a criar o futuro com novos valores para nortear nossas vidas.

Nesse sentido, os próximos eclipses trarão ainda mais consciência sobre os aprendizados da luz e sombra, a cada passo.

21-06: Eclipse Solar Anular em Câncer

05-07: Eclipse Lunar em Capricórnio

30-11: Eclipse Lunar em Gêmeos

14-12: Eclipse Solar Total em Sagitário

 

Créditos da imagem: Foto de Ray Bilcliff no Pexels




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Patricia Alves

Patrícia Alves ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Sou astróloga, psicóloga e publicitária. Desde muito cedo me interessei pelos temas da subjetividade humana e dos relacionamentos, motivo pelo qual decidi cursar Psicologia e aprofundar os conhecimentos através de estudos da psicologia analítica de Carl Gustav Jung. Na astrologia encontrei uma nova forma de compreender o ser humano e assim ajudar as pessoas no processo de autoconhecimento com a leitura dos mapas astrológicos. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Criadora da página: Psiconectando (facebook) Instagram: @psiconectando Contato Whatsapp: (11) 98223.3742

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *