O Sol

O Sol

Na Astrologia Tropical Contemporânea, consideramos o signo solar como devir humano.

É o vir a ser da entidade encarnada na Terra. Mas o que isso significa de fato?

Significa que aquele signo rege seu espírito, que anima seu coração, e a vitalidade.

Como vivemos imersos no tempo/espaço, esse Sol pessoal se desenvolve na prática diária.

De acordo com a cultura e as tradições sociais.

Como vivemos em uma sociedade capitalista e patriarcal, muitas vezes esse Sol é negligenciado.

A pessoa nesse caso, tende a se esconder para poder ser aceita socialmente.

Isso quer dizer, que muito do nosso espírito, de nossos desejos do coração se fazem inconscientes.

Pelo fato de irem contra o status quo.

É simples identificarmos isso!

Basta olharmos à margem social e veremos tantas vidas serem negadas pelo fato de contrariarem à ordem dos dias.

Na ordem dos dias, temos uma imposição de comportamento adultocentrado, heteronormativo e de hegemonia racial branca.

Até os valores espirituais que regem a fé, são pautadas em sua maioria, em um único deus, vide o cristianismo.

Mas o que isso tem de relação com a Astrologia?

Por exemplo, uma taurina de Sol, vem aprender a reconhecer e a doar aos outros e ao seu entorno social, as características do signo de Touro.

Pois o Sol é o doador de vida no planeta Terra.

Mas para isso, a taurina deve ser “dona de si”, ou seja, reconhecer, aceitar e integrar em si mesma o seu Sol em Touro.

Então a pessoa de Touro com o tempo, aprende que a segurança que ela precisa, está em ser quem ela é.

Mas se a pessoa taurina não acessa o seu coração?

Ela pode buscar a segurança apenas na posse material. Assim o espírito fica aquém em seu devir.

Pois Touro é um signo do elemento Terra e que está relacionado com a sobrevivência do corpo.

O Sol astrológico é quente e seco, se relaciona com o espírito, como o coração, com a criação.

O brilho da natureza humana é solar!

A vida é quente, pulsa!

O Sol está pleno de si. As vidas solares quando conectadas ao coração, estão repletas de coragem.

Quando sabemos quem somos, começamos a encontrar nosso Sol, nosso fogo sagrado.

E saber quem se é, é o eterno devir, nunca está pronto, há sempre mais por desvendar.

Nas estações do ano a mais solar é o verão, obviamente, mas mesmo em intenso inverno o Sol está lá, mesmo que ninguém o sinta e o enxergue.

Na vida é semelhante, por mais que o Sol natal esteja debilitado, ainda assim ele é o Sol, e por vezes se fará notado, pode ser pela arrogância, pelo orgulho, pela apatia.

O Sol natal sob tensão astrológica não sabe lidar com o seu fogo/brilho e assim pode se tornar intratável, tímida, egocêntrica e etc.

Às vezes repetimos por dentro mantras destruidores da autoestima:

“Eu não sirvo pra nada”, “não nasci pra ser feliz”, “não mereço o amor”, “sou melhor que você”, “sou a mais inteligente desse grupo”, e etc.

Isso são distorções de sois que estão em competição!

Nessa guerra, os subprodutos são os complexos de inferioridade e de superioridade.

Também a sensação de ser especial ou de ser renegado, são alguns mitos e lendas pessoais que podemos ter com aflições no Sol natal.

Geralmente o Sol em configurações tensas trás essas marcas, mas quando encontra um meio de integração volta a ser o Sol vital.

O Sol nos doa sua energia calorosa, que tem como características a generosidade, a dignidade e a coragem de ser quem se é, e com orgulho!

O Sol é o regente da casa 4, local relacionado ao pai e a ancestralidade.

Na casa 9 é onde está o seu júbilo, aqui a energia solar individual vai encontrar respostas que satisfaçam seu espírito.

Isso, através de longos estudos filosóficos, de entendimento de dogmas morais e religiosos.

Das diretrizes da justiça e da aceitação das outras culturas e assim o reconhecimento das alteridades.

Pela tradição astrológica as dignidades do Sol são:

Domicílio em Leão, ou seja seu ponto de força natural.

Leão é de fogo, e o animal leão é símbolo de realeza. É feroz, determinado e confiante.

Sua exaltação é no signo de Áries. Aqui o Sol exagera suas forças.

Áries é de fogo, seu animal simbólico é um carneiro que avança destemido aonde quer chegar.

Sua queda é no signo de Libra, do elemento ar.

É a oposição de Áries. Seu símbolo uma balança que pondera todos os lados.

Seu exílio é em Aquário, signo de ar, oposto a Leão.

A simbologia aquariana é um homem jorrando água.

Em Aquário a manifestação é pelo bem comum de toda coletividade.

Em Libra e em Aquário há uma diminuição da força do Eu Solar em prol do convívio social.

Então quem tem esses sóis deve ficar atento para não ser tragado pelas vontades dos indivíduos que com eles/elas convivem.

E em Leão e Áries a força solar é poderosa, então há que evitar fazer tudo conforme suas vontades sem levar em consideração os outros.

Para concluir, temos o Sol como regente do signo de Leão, e o signo oposto Aquário, é regido por Urano e Saturno.

Assim me surgiu uma questão:

Será que a maturidade solar (Leão), vem com o envolvimento coletivo (Aquário) dirigido com audácia revolucionária (Urano) e a confiança de ser quem se é (Sol-Leão) sem perder a conexão e a responsabilidade (Saturno) com as outras pessoas (Aquário)?

Parece que sim, mas seguimos para vivenciarmos na prática diária nosso devir solar.




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Fabiane Marques

Astróloga e Historiadora, dançarina e poeta, vai entre os encontros da mente e da expressão, extraindo dos símbolos as conexões entre o existir e o sentir. No passo dos dias atendendo aos comandos do coração para fazer da vida a arte, da escrita a profissão, da dança o caminho, e da poesia a ação. Nada mais, nada a menos para Sol, Lua, Mercúrio e Ascendente em Gêmeos e uma Vênus em Touro, para o ar aterrissar. Contato: famarquescxs@hotmail.com Visite: http://trigonosastrais.blogspot.com/ http://fantasiasdoreal.blogspot.com/ Fabiane Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *