Marte em Leão

Marte em Leão

O presente artigo é de início sobre o ingresso de Marte no signo de Leão.
O autor tem assim por referencial a Astrologia Clássica.

Marte é um planeta com as qualidades primitivas quente e seco.
Contudo, é muito quente e seco. Devido a isso, colocaram-no como um planeta noturno.

Marte é tradicionalmente conhecido como o pequeno maléfico, por causa de sua natureza extremista.
Representa os grandes desertos, como o do Saara, ambientes hostis tanto à fauna quanto à flora.

O pequeno maléfico rege explosões, brigas, doenças contagiosas.

Fica mais forte em Escorpião e depois em Áries, seus respectivos domicílios noturno e diurno.

O quente e o úmido de Escorpião arrefece o excesso de calor e de secura do guerreiro, atenuando o seu comportamento beligerante.

Onde você tiver Leão no seu mapa de nascimento, ali o Marte estará em trânsito.
Se houver algum planeta envolvido, as casas que o mesmo rege, sentirão a presença de Marte.

Ele está forte no mapa do Brasil, domiciliado e no mesmo signo do Meio-do-Céu, representa o Poder Executivo.
Mostra a presença dos militares no governo e no poder.

Marte também rege a casa 3, que fala sobre a comunicação em geral, assim como o trânsito, os deslocamentos e as vias públicas.

No dia 11 de junho, Marte ingressou em Leão e ficará assim até 29 de julho.
Nesse signo fica sem nenhuma dignidade essencial, caindo na condição de peregrino, o que o deixa fraco por signo.

Marte em Leão fica no domicílio e na triplicidade do Sol: evidência, autoridade.
Nos termos de Júpiter traz fé, expansão. Na face e no exílio de Saturno: preocupações, restrições.

Marte em Leão na casa 7 do Brasil, representa entre outras coisas, as parcerias.
Possibilidade de desentendimento ou rompimento com algum país parceiro.

Pequeno maléfico em Leão em oposição com o Ascendente do Brasil: tensão e turbulência.
Tem cara de ser o início da terceira onda da pandemia, uma vez que ele rege infecções em geral.

Ele faz quadratura com o Marte do Brasil: momento tenso no Poder Executivo e nas Forças Armadas.
Também vai ficar em quadratura com Saturno (regente do Ascendente) e reforça o que foi dito acima, pois ativa a oposição entre os dois.

Marte vai fazer conjunção com Vênus: o Poder Judiciário, a oposição ao governo e o âmbito internacional.
Todas essas instâncias ficarão ativadas nesse período.

Ele ainda faz um sextil com a Lua e Júpiter. A Lua (em Gêmeos e regente da 6) representa o povo: doenças respiratórias. Júpiter rege a 2 (finanças) e a 11 (Poder Legislativo): crise financeira e CPI da Pandemia.

Marte em Leão vai ainda fazer oposição com Saturno em trânsito na 1 do Brasil: panela de pressão, lutas armadas pelo poder, provocações e golpes.

O momento é tenso, e logo após um eclipse solar… pede para mantermos a nossa chama acesa.
Procuremos encontrar o nosso ponto de apoio interno, sabendo que é uma fase que irá passar.



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Antonio Brito

Antônio Brito é astrólogo com especialização em Astrologia Tradicional (Horária, Eletiva, Mapa Natal e Sinastria). Atua na área desde 1997 e participou como palestrante em diversos congressos: Cinat (2019), Cinastro (2017/2014), Astroconet (2014), Astrológica (2011). É professor da Gaia Escola de Astrologia, onde se formou e ministra aulas desde 2005, além de ser um dos autores do CBA nº 14 sobre Astrologia Horária. www.astrologiaecompanhia.com.br https://www.youtube.com/channel/UCjWftA0tvb4fw4LEY2aadlQ?view_as=subscriber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *