A arte do Feng Shui e a observação da natureza

A arte do Feng Shui e a observação da natureza

O que significa Feng Shui?

Inicialmente, Feng significa vento e Shui significa água. Assim, Feng Shui significa a arte de ordenar o qi do vento e da água.

Entretanto, no sentido mais complexo, significa “leitura da terra”. Assim, abrange todos os conhecimentos sobre a natureza, a terra, a montanha, a água, os climas, o ambiente.

Isso tudo é a “leitura da terra”, a “escrita da terra”, os seus conhecimentos, aquilo que a terra nos mostra.

O conceito de Qi

Qi é um dos conceitos mais importantes do pensamento chinês. Ele pode ser traduzido por energia. Está presente nos estudos da acupuntura e também da astrologia taoísta.

Ordenação do Qi e a relação do homem com seu ambiente

Decerto o Feng Shui é uma das artes chinesas mais conhecidas no ocidente.

Ele tem despertado cada vez mais o interesse das pessoas que buscam harmonizar sua vida com a energia do ambiente onde vivem ou trabalham.

O homem chinês de antigamente aprendeu a ordenar sua casa e seu entorno, Ele seguia o fluxo do Qi, observando diretamente os fenômenos da natureza

Feng Shui também é conhecido como Kan Yu

Feng Shui é um termo popular para a arte do Kan Yu.  Kan pode ser traduzido como o Caminho do Céu e  e Yu como Caminho da Terra.

Desse modo, o Caminho do Céu refere-se ao movimento do Qi Celestial enquanto o Caminho da Terra refere-se ao movimento do Qi Terrestre.

Trigrama Céu, Homem, Terra expressa  uma relação energética

A tradição taoísta diz que o homem vive entre o Céu e a Terra.

No I Ching, o Tratado das Mutações, essa relação corresponde ao que chamamos de trigramas. É a interação entre três energias a saber: céu, homem e terra.

O céu nos fala da força espiritual e a terra da força material. Conforme o grau de harmonia dessa relação, o homem pode levar uma vida favorável ou desfavorável.

Energia da forma e energia da razão no Feng Shui

Por isso, na arte do Feng Shui devemos considerar fundamentalmente duas energias. A primeira  é  a energia da forma, que está relacionada ao mundo físico e material. A segunda é a energia da lógica, que se relaciona ao mundo psíquico e espiritual.

De acordo com o princípio do Yin e Yang, a energia do Caminho do Céu é de natureza yang e a energia do Caminho da Terra é de natureza yin.

Assim, o estudo e a prática do Caminho do Céu está relacionado a razão e a lógica ao passo que o Caminho da Terra está relacionado a forma.

Por sua vez, o trabalho da razão e da lógica refere-se ao homem e ao interior enquanto o trabalho da forma refere-se à natureza e ao exterior.

Perceber o Qi na natureza

Portanto, o Qi da forma pode ser percebido na natureza, no relevo das montanhas ou no fluxo dos rios.

As energias vitais da natureza podem ser detectadas justamente pela apreciação constante das suas formas. Assim, pode-se perceber os pontos onde há maior concentração energética.

Por esse motivo, um lugar que possui boa quantidade e qualidade de Qi é chamado de Sopro da Boa Fortuna ou Cova do Dragão. É nesse lugar que se concentram as energias do Céu e da Terra.

Feng Shui e a Acupuntura, a busca pelos pontos com concentração de energia

Nesse sentido, o Feng Shui é considerado a “acupuntura do qi terrestre”.

Aqui ele também busca a localização de pontos, chamadas de covas energéticas.

O mesmo se dá na localização dos pontos no corpo humano.

Por causa disso, iremos encontrar várias escolas do Feng Shui que dizem que a terra, tal como o homem, possui 12 meridianos, que se espalham por todos os lados.

Localização na natureza do Qi concentrado e do Qi disperso

Nas palavras de meu mestre: “Quando uma montanha tem o seu cume coberto pela cor violeta ou por nevoeiros azuis ou ainda por vapores branco flutuantes, tem sua pele (vegetações) sem escamas (erosões) com cores vivas, com abundância de capim e madeira, possuindo água doce e corrente e fontes refrescantes (força de qi no subsolo) e do solo sobe um aroma, suas pedras são úmidas e iluminadas. Certamente, essas formas demonstram que o Qi nesse local é resplandecente e duradouro. Da mesma forma, os lugares onde as nuvens não flutuam, parecem pesadas, a vegetação é rarefeita, desmatada, sem cor ou obscura, sem brilho, a terra com rachaduras e rupturas, rochas quebradas, seca, com as fontes secas (causada pela ruptura da veia do dragão ou destruição da cova), tudo isso são indícios de um lugar com energia ruim. É onde o Qi está totalmente disperso.”

Buscar na natureza os indícios que nos mostram a qualidade do Qi é o primeiro passo na arte do Feng Shui.  Esse talvez seja o passo mais importante e também o mais complexo. Quase sempre requer por parte do especialista uma boa observação e conexão com a natureza. A partir dai, pode-se iniciar o trabalho, com bússola e cálculos. Encontrar o equilíbrio entre o interno, a casa, o coração, e o externo, a natureza.

 

Crédito da imagem: Marco Lachman- Anke/Pixabay




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Telma Bonniau

Sou taoísta, consultora de I Ching, Zi Wei Dou Shu, BaZi, Feng Shui, estudo acupuntura, pratico Caligrafia Chinesa, Tai Chi, Qi Gong e Ikebana. Gosto de viver a vida, na companhia dos meus amigos e dos meus livros e curtir a energia da natureza. tbonniau@yahoo.com.br Publico meus artigos aqui e também na minha página no Facebook, Conhecendo o Zi Wei Dou Shu e as artes taoístas https://www.facebook.com/ConhecendoOZiWeiDouShu/. WhatsApp: 21-998950391

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *