A grande perda em ser sempre o mesmo

A grande perda em ser sempre o mesmo

Não raro escutamos as pessoas orgulhosamente declararem: eu sou sempre o mesmo.

Talvez seja essa a declaração mais triste, porque sua afirmação é: perdi a oportunidade de me conhecer.

Não nascemos nos conhecendo. A consciência nasce aos poucos e se processa durante toda a existência humana.

O ato de se transformar é o que há de mais saudável no ser humano.

Ele se reveste de uma característica indispensável para que nos tornemos no ser único que é tanto nossa busca quanto nosso destino. E a vida sempre nos dá oportunidades para isso. Quer por bem, quer por mal.

Dar as costas à própria transformação é não buscar se conhecer.

A cada dia, dar um bom dia e muito prazer a si mesmo, é na realidade, chancelar o próprio crescimento individual.

Jamais nos conhecemos por inteiro e abraçar afetuosamente aqueles desconhecidos que em nós habitam, é prova inconteste de crescimento.

Decerto, essa é a razão pela qual Jung se refere a isso por Processo de Individuação

Efetivamente, ele não é estático e não finda, é o percurso de toda uma vida.

Jung declara: Minha vida é a história de um inconsciente que se realizou.

Nada mais revelador do que a finalidade de uma vida: a de lançar luz e assimilar os processos inconscientes desconhecidos da própria consciência.

Ele, destemidamente, o fez.

Retirar o quanto possível nossas projeções e devolvê-las ao seu lugar de direito é parte do processo.

Da mesma maneira, reconhecer nossa sombra, nem sempre agradável, mas igualmente aceitá-la e exercitá-la, é outra parte do processo.

Entretanto, nesse caminhar nos transformamos e vamos cada vez nos tornando seres mais autênticos. Mais realizados. Mais coerentes.

A cada passo do caminho, vamos retomando partes nossas vitais para nosso crescimento. Retiramos do outro aquilo que não lhe pertence, e vamos assumindo e nos enriquecendo com conteúdos que são nossos.

Caso não enfrentemos nossas realidades interiores, elas assumirão sempre a característica de destino. Sem dúvidas, retirando as rédeas de nossas vidas do controle de nossas mãos.

A vida, inexoravelmente, nos empurra a iluminarmos nossa própria escuridão.

Não existe rota de fuga. A pressão será sempre no sentido de nos tornarmos o que de fato somos.

Desperdiçarmos essa oportunidade é abrirmos mão de sermos o que de fato somos: Únicos.

Desejo para todos uma feliz e eterna transformação.

OBS: dia 5 de Maio às 10 horas da manhã, iniciaremos um novo grupo de estudos junguianos. Vamos nessa?




Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Claudia Araujo

Aquário com Gêmeos, sou muitas e uma só. Por amar criar com as mãos, sou designer de biojóias e mantenho o site terrabrasillis.com, assim como pinto aquarelas e outras ¨manualidades¨. Por não me entender sem a busca do mundo interno do outro, sou astróloga com 4 anos e meio de formação em psicologia analítica sob a supervisão de José Raimundo Gomes no CBPJ – ISER e já mantive por anos o site Meio do Céu. Nessa nova etapa mantenho o site grupomeiodoceu.com. Dou consultas astrológicas e promovo grupos de estudo de Jung e Astrologia, presenciais e online. São várias vidas vividas numa única existência, mas minha verdadeira história começa aos 36 anos, e o que vivi antes ou minha formação acadêmica anterior, já nem lembro, foi de outra Claudia que se encerrou em 1988. Só sei que uso cotidianamente aquilo em que me tornei, e busco sempre não passar de raspão pelo mapa astrológico do outro. Mergulhar é preciso, e ajudar o outro a se transformar, algo imprescindível. Só o verdadeiro autoconhecimento pode gerar transformação. Não existe mágica, e essa autotransformação não ocorre via profissional, mas apenas através do real interesse do cliente em buscar reconhecer como se manifesta em sua vida cotidiana e qual seu potencial para a transformação. Todos somos mais do que aquilo que vivenciamos. A busca deve passar sempre pelo reconhecimento daquele eu desconhecido que em nós mesmos habita. A Astrologia é um facilitador nessa busca porque nela estão contidos tanto nossos aspectos luz quanto sombra. Ela resolve nossos problemas? A resposta é não. Ela apenas orienta no sentido do reconhecimento de nossa totalidade. A busca é do cliente. A leitura é do astrólogo, mas só o cliente poderá encontrar o caminho de sua totalidade e crescimento responsável. websites : www.terrabrasillis.com e www.grupomeiodoceu.com Fale com Claudia direto no Whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *