Uma Análise Crítica dos Trânsitos de Saturno

Uma Análise Crítica dos Trânsitos de Saturno

Cada dia mais a percepção do movimento
da expressão dos símbolos
que resolvemos chamar planetas,

Comove-me, me envolve, me seduz

dançante movimento que ilumina e faz constatar que
já estávamos iluminados
já estávamos projetando luz, basta ver
como a dinâmica se processa.

Tem quadratura, tem trânsito
tem progressão de Saturno e
surge a tensão, surge o obstáculo
mas prestando atenção na tensão,

para que apareça o obstáculo no
caminho, eu precisei ter escolhido
este caminho; partiu de mim o gesto
desencadeador da tensão,

busquei eu mesmo o medo, o terror, a insegurança
de ter feito a besteira
(no caso, uma besteira cósmica)

sempre e sempre e cada vez mais
constatamos que os planetas não fazem nada,

eu preciso me envolver, eu preciso articular, eu preciso
entrar em link com o símbolo, incorporar
o significado do símbolo e, com meus receios,
com minha imaturidade, com meus instintos
mal assumidos, distorcidos, reprimidos, contidos

pela cultura e pelo medo de parecer pequeno,
e pior ainda, quando uso meus princípios e
tento ser coerente com o grande sistema no qual
sobrevivemos,
eu gesticulo e faço o planeta acontecer em minha vida
gesticulo planetariamente, saturninamente,
abracadabra saturnão!
e faço a grande estupidez ou
o pequeno acerto
(normalmente é nesta escala)



Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *