RADICAIS LIVRES e ANTIOXIDANTES

RADICAIS LIVRES e ANTIOXIDANTES>> A essa altura, se você não sabe o que são radicais livres e ainda não entendeu completamente a função dos antioxidantes sobre a saúde, não se desespere.

Há cerca de 15 anos, quando comecei a ter contato com esses termos, sempre me sentia um pouco desapontado porque nunca conseguia obter uma explicação clara sobre o assunto.

Tudo muito complicado e cheio de mistérios, com muita conversa de química que logo me fazia desistir. Por obrigação profissional tive que ir a fundo nesse tema, que passou a ser um dos meus favoritos quando dou aulas para médicos.

Como esse artigo não tem por objetivo ensinar com profundidade temas complexos da medicina e da bioquímica vamos tentar fazer isso o mais simples possível.

Se o leitor quiser saber mais sobre o assunto, pode comprar a minha primeira publicação, Medicina Ortomolecular – Um Guia Completo sobre os Nutrientes e suas Propriedades Terapêuticas. Eu e a Editora vamos agradecer muito.

Radicais livres são moléculas formadas habitualmente no nosso organismo

mas que quando estão em excesso provocam lesões celulares capazes de provocar várias doenças. Os diversos radicais livres são formados a partir do oxigênio da respiração e podem oxidar outras moléculas, especialmente os lipídios existentes nas membranas celulares. O mesmo processo que ocorre quando a manteiga fica rançosa.
Ao excesso de radicais livres dá-se o nome de estresse oxidativo.

Esse estado anormal tem relação direta com várias doenças e pode ser gerado por várias situações a que o organismo está exposto. Infecções, intoxicações, má alimentação, degeneração e envelhecimento dos tecidos e órgãos, estresse emocional, etc, etc.

Outra situação importante são os exercícios extenuantes, acima do que o condicionamento físico do atleta permite, vai produzir estresse oxidativo.

Atualmente admite-se que os exercícios aeróbicos sejam mais formadores de radicais livres que os anaeróbicos. Alguns atletas, especialmente os de fim de semana, que exercem atividades aeróbicas prolongadas ou acima de suas capacidades, apresentam envelhecimento precoce e déficit do sistema imunológico, alvo predileto dos radicais livres.

O que são antioxidantes

Antioxidantes são os elementos que neutralizam os radicais livres cuja lesão principal ao organismo é a oxidação.

Nosso corpo possui um sistema enzimático antioxidante natural que mantém esse processo de oxidação sob controle.

Quando os radicais livres se encontram em excesso ou o sistema enzimático em deficiência sobrevém o estresse oxidativo.

Os antioxidantes podem agir potencializando o sistema enzimático antioxidante natural do organismo ou atuando diretamente na sua neutralização.

Por exemplo: o selênio ativa uma enzima chamada glutation peroxidase, enzima responsável pela neutralização do radical livre peróxido de hidrogênio, enquanto que a vitamina E pode interromper o processo de oxidação interagindo diretamente com o radical livre que vai perder seu poder oxidante.

Na verdade, a complexidade da matéria não me permite entrar em detalhes sobre a maneira com que os radicais livres são formados, como eles alteram as diferentes moléculas oxidáveis dos tecidos, como a ação dos radicais livres provoca reações em cascata formando mais e mais espécies oxidantes e como essa cadeia destrutiva será neutralizada.

Para nós, basta saber que o excesso de radicais livres responsável por várias doenças deve ser neutralizado por uma carga proporcional de antioxidantes, presentes na alimentação ou na suplementação alimentar bem feita.

Quando alguém me pergunta sobre qual o suplemento mais importante para a saúde, respondo com toda a certeza: os antioxidantes.

Sem o equilíbrio do estresse oxidativo qualquer outra suplementação não alcançará o sucesso desejado.

A incredulidade de determinados profissionais

Alguns profissionais desinformados no Brasil se declaram incrédulos quanto a ação nociva dos radicais livres e sua relação com as doenças, com a queda na performance, com os desequilíbrios emocionais, com o envelhecimento e outras pragas.

Parece inútil mostrar a esses fariseus que esse assunto já foi absorvido pelo meio científico mundial há pelo menos 20 anos.
Os livros mais modernos de bioquímica, clínica médica, nutrição, fisiologia possuem, em sua maioria, um capítulo destinado à explicação dos efeitos deletérios dos radicais livres sobre a saúde.

Como na ciência não há lugar para os preconceitos, as pesquisas vão se desenvolvendo e cada vez mais doenças têm seu mecanismo fisiopatológico ligado aos radicais livres.

Processos patológicos relacionados com o estresse oxidativo

AUTOIMUNES reto-colite ulcerativa
lúpus eritematoso
artrite reumatóide
esclerose múltipla
doença de Crohn
psoríase

CIRCULATÓRIAS aterosclerose
processo isquemia-reperfusão
doença coronariana
claudicação intermitente
arritmias cardíacas
cardiomiopatia alcoólica
acidente vascular cerebral

METABÓLICAS diabetes
deficiências nutricionais
alcoolismo
lesões por radiação ionizante
gota

DEGENERATIVAS envelhecimento precoce
doença de Alzheimer
catarata
amiloidose
câncer
parkinsonismo
degeneração macular

RESPIRATÓRIAS enfisema
asma brônquica
tabagismo

IMUNOLÓGICAS alergias
rejeição de órgãos transplantados
imunodeficiência idiopática
AIDS

DIGESTIVAS gastro-enterite aguda
pancreatite
diarréia crônica
síndromes de má absorção
hepatites
cirrose

GINECOLÓGICAS tensão pré-menstrual
síndrome pós-menopausa

PSIQUIÁTRICAS depressão
esquizofrenia

Com relação aos antioxidantes, pode-se dizer que a lista de substâncias é quase infindável. Os principais são adquiridos através da boa alimentação. Qualquer pessoa pode e deve suplementá-los diariamente em quantidades compatíveis com as necessidades individuais. A cada dia novas substâncias têm suas propriedades antioxidantes identificadas e a lista desses componentes da alimentação parece infindável. Entretanto, a título de referência, fornecemos abaixo uma lista dos principais antioxidantes empregados na suplementação alimentar:

CLASSE ANTIOXIDANTE
VITAMINAS Vitamiana A (retinol)
Carotenóides (beta-caroteno, luteína, licopeno)
Vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina, ácido pantotênico, ácido fólico, cianocobalamina, biotina, ácido lipóico, ácido orótico, ácido pangâmico, inositol)
Vitamina C (ácido ascórbico)
Vitamina D (calciferol)
Vitamina E (tocoferol)
Bioflavonóides (quercetina, rutina, hesperidina)
MINERAIS Selênio
Zinco
Cromo
Manganês
Molibdênio
Cobalto
Magnésio
Germânio
AMINOÁCIDOS Cisteína
Taurina
Metionina
Glutation
OUTROS Coenzima Q-10 (ubiquinona)
Melatonina
Silimarina (Cardus Marianus)
Ginkgo biloba
Pycnogenol® (Pinus maritimus)
Extrato de sementes de uvas (pró-antocianidinas)
DMSO (dimetilsulfóxido)

vegetables-1085063 pixabay.com

Deixe seu like e siga nossa Rede Social:
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *